Crédito

Banco do Nordeste lança Cartão FNE com crédito de até R$ 1 milhão para empresas

Empresários dos setores de indústria, comércio e serviços poderão usar recursos para investimento e giro

Adriana Guarda
Adriana Guarda
Publicado em 10/06/2016 às 7:00
Divulgação/Fiepe
Empresários dos setores de indústria, comércio e serviços poderão usar recursos para investimento e giro - FOTO: Divulgação/Fiepe
Leitura:

Em tempos de crédito caro, escasso e mais rígido, o Banco do Nordeste (BNB) quer oferecer um alento aos empreendedores em busca de recursos em plena crise. Ontem o presidente do BNB, Marcos Holanda, lançou no Recife o Cartão FNE, que vai oferecer crédito rotativo pré-aprovado de até R$ 1 milhão. A proposta do cartão é desburocratizar e garantir agilidade na oferta de crédito. A apresentação ao mercado local aconteceu durante evento na Federal das Indústrias de Pernambuco (Fiepe), com a presença de empresários dos setores de indústria, comércio e serviços.

“Nossos gerentes em toda a área de atuação dos bancos estão preparados para atender aos interessados. O cartão vai atender a todos os portes de empresas e a todos os setores. Por enquanto já serão atendidos clientes de indústria, serviços e comércio, mas em julho também será lançado o Cartão FNE Agronegócio”, adianta Holanda. O presidente Fiepe, Ricardo Essinger, destacou que o cartão vem atender a um pleito dos empresários, que é a agilidade na oferta do crédito.

O primeiro evento de lançamento do cartão aconteceu em Fortaleza em abril e seguirá para as outras capitais com presença do BNB. “Um produto como esse num momento de crise vai contribuir para recuperar a economia”, defende Holanda. Por enquanto, mil cartões já foram emitidos. O banco não faz estimativa do número que será alcançado, mas estima que a demanda será grande.

“Nossos gerentes em todo o Estado estarão preparados para facilitar o acesso ao produto. O Cartão FNE vai oferecer num só produto a possibilidade da compra de insumos e a realização de investimento. O cliente que pagar as parcelas em dia terão um bônus de adimplência de 15%”, observa o superintende do BNB em Pernambuco, Marcílio Morais.

O cartão vai oferecer os mesmos juros do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), que varia de 9,5% a 11% ano ano, dependendo do porte da empresa. Para pequenas e médias a taxa é de 9,5% e para as grandes fica em 11%. No caso da aquisição de insumos, o prazo de pagamento é de 36 meses, enquanto para investimento sobe para 72 meses. A validade do Cartão FNE é de cinco anos, mas pode ser prorrogado por mais cinco. Outras vantagens são a redução no fluxo de documentos, a isenção de anuidade e a automatização do créditos, que vai permitir mais segurança.

DESEMBOLSOS

No ano passado, o BNB emprestou R$ 11,5 bilhões com recursos do FNE. Para este ano o orçamento está projetado em R$ 14,1 bilhões. Desse total, a expectativa é que as empresas pernambucanas captem R$ 2,1 bilhões. O Cartão FNE vai contribuir para alavancar as contratações de recursos do fundo.

A expectativa é que o novo produto do BNB também contribua para aumentar a base de clientes. Hoje, o cartão já conta com 1,7 mil fornecedores cadastrados para vender aos clientes do banco e que são potenciais contratadores do cartão. Com o Cartão FNE o banco quer mudar a percepção do cliente de que a contratação de empréstimo é uma via crucis para quem empreende no Brasil.

 

Print

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias