Infraestrutura

Terminal Açucareiro vai começar a funcionar em Suape para exportação

Terminal recebeu R$ 130 milhões em investimento e começa a operar nesta safra

Adriana Guarda
Adriana Guarda
Publicado em 25/09/2016 às 13:39
Divulgação/Suape
Terminal recebeu R$ 130 milhões em investimento e começa a operar nesta safra - FOTO: Divulgação/Suape
Leitura:

O Terminal Açucareiro do Porto de Suape (empreendimento da Odebrecht TransPort com a Agrovia) começa a operar no próximo mês, aproveitando o início das exportações da safra 2016/2017.O funcionamento-piloto será realizado inicialmente com duas usinas pernambucanas e depois vai ser ampliado. Localizado na retroárea do cais 5, o terminal recebeu investimento de R$ 130 milhões e tem capacidade para movimentar 750 toneladas de açúcar por ano. O local será dedicado aos embarques de açúcar refinado, deixando para o Porto do Recife as exportações de VHP (antigo demerara).

“A principal vantagem do terminal será garantir eficiência às exportações de açúcar. O produto sofria com a pouca disponibilidade de cais e o embarque chegava a demorar até 15 dias (com o novo equipamento poderá diminuir para cinco dias). Suape também poderá servir de plataforma de exportação para outros Estados”, acredita o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e presidente do Porto de Suape, Thiago Norões.

O Brasil é o maior exportador mundial de açúcar e a região do Centro-Sul ao lado de Pernambuco são os principais fornecedores internacionais do produto refinado. Em 2015, o açúcar apareceu no topo das principais mercadorias embarcadas pelo Estado, respondendo por 10,69% da pauta. A expectativa para este ano é que a produção de açúcar alcance 900 mil toneladas. Desse total, 600 mil toneladas seguem para o mercado externo, sendo aproximadamente metade de refinado e a outra metade de VHP.

 “A operação do terminal é um sintoma de que a condição logística de Pernambuco é favorável e diferenciada no Nordeste. Esse terminal dedicado vai consolidar Suape como um exportador de açúcar refinado. O porto é credenciado na Bolsa de Valores de Londres, estando apto a realizar entregas técnicas”, explica o presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool de Pernambuco (Sindaçúcar-PE), Renato Cunha. O terminal tem localização privilegiada para atender às principais regiões consumidoras do Mediterrâneo, Costa da África, Oriente Médio e Europa. “A África é um mercado-alvo, principalmente países como Nigéria, África do Sul e Gana”, observa Cunha.

Em 2015 foram embarcadas 103,9 mil toneladas de açúcar pelo Porto de Suape (como carga solta) e outras 91,6 mil toneladas por contêiner. “No futuro, além de exportar um dos principais produtos da economia pernambucana, que é o açúcar, o terminal poderá servir para exportação de importação de outros grãos, a exemplo de malte, cevada, milho, farelo e soja”, adianta Norões.

INVESTIMENTO

Nos últimos anos, as usinas pernambucanas vêm investindo na reformulação das fábricas para produzir açúcar refinado, que tem maior valor agregado, mas também têm custos de fabricação mais elevados. Alguns exemplos são Trapiche, Ipojuca, Olho D’Água, Trapiche, Santa Tereza e Petribú.

O Terminal Açucareiro também poderá operar com navios de maior porte, passando de embarcações com capacidade de 10 mil toneladas para 35 mil toneladas. O terminal ocupa uma área de 72,5 mil metros quadrados e tem um berço de atracação de 355 metros de extensão.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias