Infraestrutura

Após 8 anos de espera, Porto do Recife terá obra de dragagem

Com investimento de R$ 51,4 milhões, porto receberá navios maiores

Adriana Guarda
Adriana Guarda
Publicado em 13/01/2020 às 20:32
Notícia
Foto: Diego Nigro/Acervo JC Imagem
Com investimento de R$ 51,4 milhões, porto receberá navios maiores - FOTO: Foto: Diego Nigro/Acervo JC Imagem
Leitura:

No apagar das luzes de 2019, a diretoria do Porto do Recife comemorou a assinatura de dois termos de compromisso entre o governo de Pernambuco e a União, que vão melhorar as condições operacionais, aumentar a competitividade e colocar o porto de volta na rota de embarcações maiores. No total, o atracadouro vai receber recursos da ordem de R$ 51,4 milhões para executar obras de dragagem e infraestrutura. Sem realizar uma nova dragagem desde 2012, por falta de recursos, o porto vinha perdendo cargas e lutando para manter a operação. A despeito das dificuldades, conseguiu registrar crescimento de 15% na movimentação de cargas em 2019.

O primeiro termo de compromisso foi assinado com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e prevê a execução das obras de dragagem do cais, que vai do berço 00 ao 06 e passará a ter profundidade de 11 metros, e do 07 ao 09 para 8 metros de profundidade. A dragagem está orçada em R$ 24,1 milhões e terá vigência de um ano. Pelo cronograma do Plano de Trabalho, as obras devem começar em abril e serão finalizadas em junho deste ano.

O presidente do Porto do Recife, Carlos Vilar, explica que com a profundidade de 11 metros será possível receber navios com capacidade para transportar 45 mil toneladas, enquanto no cenário atual só é possível atracar embarcações de até 32 mil toneladas. “Com essas limitações acabamos perdendo cargas de cevada, que atendem o polo cervejeiro do Estado para o Porto de Cabedelo, na Paraíba. Mas agora acreditamos que vamos recuperar”, aposta Vilar.

A última dragagem realizada no Porto do Recife aconteceu em 2012 e de lá para cá a Marinha do Brasil vem limitando o tamanho dos navios que podem atracar. “Desde 2015 estamos brigando por uma nova dragagem, mas o tema ficava sempre no âmbito das promessas, por parte do Governo Federal. A assinatura dos Termos de Compromisso nos indica que a obra será, de fato, realizada e só temos motivos para comemorar o ano que passou e criar grandes expectativas para 2020”, comemora o presidente do porto. Ele recorda que durante todo o ano de 2019 foram muitas idas e vindas ao Ministério da Infraestrutura para destravar os projetos.

“O trabalho valeu a pena, viabilizou a assinatura dos termos de compromisso. Agora, aguardamos a liberação de recursos para iniciar as obras, que colocarão o Porto do Recife em um outro patamar de competitividade”, enfatiza o secretário de Desenvolvimento do Estado, Bruno Schwambach.

O segundo termo de compromisso, assinado com o Ministério da Infraestrutura, vai permitir a execução de obras civis para reforma, melhoria e adequação da infraestrutura operacional dos cais do porto. O trabalho vai contemplar o novo sistema de defensas (proteção para que os navios não batam no cais) e cabeços de amarração, recuperação da drenagem, pavimentação e recuperação estrutural dos cais 00 e 01. As obras estão orçadas em R$ 27,3 milhões e terão vigência de um ano. O cronograma do Plano de Trabalho informa que as obras serão iniciadas em maio de 2020 e finalizadas em dezembro deste ano. As licitações das obras serão realizadas pela Porto do Recife S.A., que é a executora dos projetos, e devem acontecer entre fevereiro e abril.

O presidente do Porto do Recife também destaca que o reordenamento dos cais vai permitir resolver o problema do Terminal de Passageiros (TP), que está localizado no cais 7, enquanto os passageiros desembarcam no cais 2 e precisam seguir de ônibus até o terminal. “Com a profundidade maior e as obras de infraestrutura poderemos movimentar barrilha, coque e fertilizante no cais 2 e realizar o desembarque dos passageiros de cruzeiro marítimo mais próximo do TP. Outro projeto nosso é arrendar o terminal para a iniciativa privada e incluir o cais 8 no pacote para que a empresa vencedora possa fazer um empreendimento maior com lojas e restaurantes, por exemplo, para tornar o terminal economicamente viável”, observa Vilar.

PROJEÇÃO

O aumento da operacionalização do Porto do Recife também anima a diretoria a continuar a tendência crescente da movimentação de cargas registrada em 2019. “Nosso projeção para este ano é crescer 20%, apostando no aumento da operação de cargas já existentes e de novas que possam chegar. Existe uma procura por áreas portuárias no Brasil e queremos nos inserir nesse movimento”, defende. Em 2019, o Porto do Recife movimentou 1,4 milhão de toneladas de cargas, com destaque para malte de cevada, fertilizante, barrilha, açúcar e outros.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias