LEVANTAMENTO

Porto de Suape volta a bater recorde e movimenta 23,8 milhões de toneladas de cargas em 2019

Governo do Estado atribuiu o número ao aumento da diversificação de cargas

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 23/01/2020 às 11:56
Notícia
Foto: Arnaldo Carvalho/Drone JC Imagem
Governo do Estado atribuiu o número ao aumento da diversificação de cargas - FOTO: Foto: Arnaldo Carvalho/Drone JC Imagem
Leitura:

O Porto de Suape bateu novo recorde histórico em 2019, movimentando 23,8 milhões de toneladas de cargas, volume 2% maior ao do ano anterior. Anteriormente, o maior número tinha sido em 2017, com 23,6 milhões de toneladas. O levantamento foi divulgado na manhã desta quinta-feira (23) em coletiva de imprensa promovida pelo Governo de Pernambuco, que atribuiu o recorde ao aumento da diversificação de cargas neste ano.

O maior percentual de crescimento entre todos os tipos de mercadorias foi observado na carga geral solta, que encerrou o ano com 386,5 mil toneladas e 54,8% de aumento, tendo em vista que em 2018 o total movimentado foi de 249,6 mil toneladas. Neste grupo, estão as cargas como açúcar em saco, torre e pá, chapas e bobinas de aço, tarugos e veículos, entre outros. De acordo com o Governo, o incremento se deve às exportações de açúcar para países da África e para a Turquia, e ao embarque das peças de aço para Colômbia, Peru, Jamaica e Canadá.

Os números da movimentação de carga conteinerizada também foram os mais expressivos desde a fundação de Suape. Houve um crescimento de 5,7%, passando de 5 milhões de toneladas em 2018 para 5,3 milhões de toneladas em 2019, totalizando 291.166 toneladas a mais. O volume também é o maior até hoje, o que mantém o ancoradouro na liderança regional em movimentação de contêiner.

Impulsionado pela saída de 31 mil toneladas de coque da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), granéis sólidos (trigo e escória) registraram crescimento de 5,5%, fechando 2019 com 490,8 mil toneladas, 25 mil toneladas a mais que no ano anterior. 

Quedas

Apesar da movimentação de granéis líquidos (combustíveis, GLP, óleos minerais, etc) crescer de 17,624 para 17,634 milhões de toneladas (0,1%), o aumento não foi expressivo, o que manteve a categoria estável. Este tipo de carga representa 74% de toda a movimentação no Porto e também torna o ancoradouro o principal porto de cabotagem do Brasil, pois, a partir dele, os produtos são distribuídos para outros terminais em navios menores.

Quando se trata na navegação de longo curso, a importação de mercadorias aumentou 8,7%, somando 5,62 milhões de toneladas em 2019, 450 mil toneladas a mais que 2018. No entanto, a exportação de cargas caiu 5,3%, totalizando 2,33 milhões de toneladas no ano passado ante 2,46 milhões em 2018. Para o Porto, o principal fator da queda foi a movimentação de veículos, que somou 46.721 unidades em 2019, 19.563 a menos que em 2018, queda motivada pela crise econômica na Argentina, principal destino dos veículos exportados via Suape. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias