Dicas e informações de viagens, férias e turismo
Turismo de Valor

Descubra dicas de viagem e roteiros para as férias, além dos destinos e atrações que estão em alta no turismo.

Pertinho do Recife

Conheça Itapissuma, um lugar no Litoral Norte que atrai turistas pela culinária e cultura

O Piaxaxá e a tradicional caldeirada são principais atrativos da cidade

Mona Lisa Dourado
Mona Lisa Dourado
Publicado em 30/01/2020 às 22:35
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Grupo apresenta o Piaxaxá, dança que só existe em Itapissuma - FOTO: Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Leitura:

“Eu vi o beija-flor beijar a flor do ingá, eu vi o piaxaxá, o piaxaxá, o piaxaxá.” Mal descem das baiteiras, pequenos barquinhos usados pelos pescadores no Litoral Norte, os visitantes são envolvidos pelo ritmo contagiante que mistura coco e ciranda. Supostamente de origem portuguesa, o piaxaxá é uma das surpresas de um roteiro nada convencional por Itapissuma, único lugar do mundo, aliás, a preservar a dança.

>> Setor hoteleiro do Litoral Norte de Pernambuco se renova; conheça

>> Empresários apostam em novo boom no Litoral Norte de Pernambuco

>> Ação do Governo de Pernambuco divulga roteiro pelo Litoral Norte

>> Litoral Norte de Pernambuco volta à vitrine com roteiro ecológico e de sol e mar

>> Reserva ecológica oferece atividades radicais no Litoral Norte de Pernambuco

>> Litoral Norte de Pernambuco terá rota turística de sol, mar, ecoturismo e aventura

O grupo que se dedica a manter a tradição viva é liderado pelo casal de artistas Aldineide Alves Pereira e Weferson Paz, dois dos entusiastas do turismo criativo, que tem sido incentivado em Itapissuma pela Secretaria de Turismo local. As casinhas caiçaras recentemente pintadas e decoradas com frases e desenhos em frente ao Porto do Espinheiro servem de cenário para a apresentação, que segue entre as vielas animando quem passa.

Perto dali são as ruínas do engenho da antiga Fazenda Mulata que chamam atenção, assim como a casa-grande, que ainda guarda na arquitetura e em parte do mobiliário resquícios da colonização portuguesa.

Em outro porto, o da Camboa, está um dos mais curiosos equipamentos turístico-culturais da cidade. Mantido pelo militar aposentado Joacir Araújo Pessoa, mais conhecido como Sinho, o Sítio do Canto reúne capela e museus com um eclético e curioso acervo. A coleção começou há cerca de 40 anos, com a compra do tacho do antigo Engenho Botafogo, que pertenceu ao barão de Itapissuma, no século 18. “A peça ia ser comprada por um compadre que a levaria para a Paraíba. Achei um absurdo algo tão importante para a história da cidade ir embora para outro Estado”, conta.

De lá para cá, Sinho perdeu as contas de quantas relíquias já adquiriu. Além de preciosidades vindas dos engenhos da região, há desde a faca de prata que pertenceu a Maria Bonita até capacetes de soldados da Segunda Guerra Mundial, artefatos indígenas e a canoa “Jararaca”, utilizada na Guerra do Paraguai.

O Sítio do Canto fica praticamente no final da ruazinha que leva à área de lazer Dalila Vera Cruz, no Centro, onde está o colorido casario que caracteriza Itapissuma. Um amplo mirante permite visualizar o quanto a região é privilegiada em rios e manguezais, que favorecem o turismo náutico.

Outro atrativo é a Matriz de São Gonçalo do Amarante, a simpática igrejinha que todos os anos reúne, em janeiro, milhares de fiéis na quarta maior procissão fluvial do país: a Buscada e Levada de São Gonçalo.

A famosa caldeirada

 

Tradição gastronômica de Itapissuma, a caldeirada não poderia ficar de fora do roteiro. Oito mestras cozinheiras, como Adriana e Lidiane, servem o prato famoso na sacada com a bela vista para o Canal de Santa Cruz. São herdeiras da saudosa dona Irene, criadora da famosa receita. A mistura de mariscos, camarão, filé de aratu, lagosta, sururu, polvo, filé de siri, arraia, ostra e coco, servida com pirão e arroz, é praticamente um patrimônio culinário pernambucano. Se não oficial, pelo menos afetivo. Os boxes abrem de domingo a domingo, das 9h às 17h.

Ao lado deles,outra boa notícia para o turismo de Itapissuma. Na próxima sexta-feira (7/2), será inaugurado o novo Centro do Artesanato e Museu da Cultura Popular, apresentado em primeira mão aos jornalistas que participam da fampress promovida pela Secretaria de Turismo (Setur) do Estado e pela Empetur.

O investimento da prefeitura foi de R$ 35 mil na reforma do espaço, que abriga 50 artesãos. Gente como a “pescadeira” Oldésia de Souza Cruz, que vende bijuterias feitas de conchas; Robson Santos, que comanda o quiosque de cachaças; e Jacira da Silva, que vende dindolés gourmet de sabores tão surpreendentes quanto macaíba com passas. Todos esperam que o novo centro traga melhores negócios e uma fonte de renda mais estável e duradoura.

Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Piaxaxá mistura coco e ciranda - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Ritmo contagia visitantes e moradores das comunidades caiçaras - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Difícil não cair na dança - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Passeio de baitera percorre o Canal de Santa Cruz - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Paisagem encanta pernambucanos e gente até de fora do País - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Turismo Criativo leva a conhecer colônias de pescadores - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Centro do Artesanato e Museu da Cultura Popular será aberto no dia 7 de fevereiro de 2020 - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Espaço abrigará cerca de 50 artesãos - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Personagens da cultura popular saúdam os visitantes - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Centro do Artesanato e Museu da Cultura Popular preserva tradições locais - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Robson Santos comanda o quiosque de cachaças - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Oldésia de Souza Cruz vende bijuterias feitas de conchas na Mar e Arte Artesanato - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Jacira da Silva vende dindolés gourmet de sabores tão surpreendentes quanto macaíba com passas - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Caldeirada = marisco + camarão + aratu + lagosta + sururu + polvo + siri + arraia + ostra + coco - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Caldeirada = marisco + camarão + aratu + lagosta + sururu + polvo + siri + arraia + ostra + coco - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Olha o resultado saboroso - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Matriz de São Gonçalo do Amarante sedia a segunda maior procissão fluvial do País - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Joacir Araújo Pessoa, conhecido como Sinho, mantém o Sítio do Canto, que reúne relíquias da região - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Sinho e a canoa Jararaca usada na Guerra do Paraguai -
Sítio do Canto reúne capela e museus de acervo diverso e curioso -
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Na beira da praia, pescadores tratam os pescados do dia - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Passeio de barco margeia comunidade caiçaras - Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Foto: Mona Lisa Dourado/JC
Manguezal é um dos atrativos durante passeio de baitera - Foto: Mona Lisa Dourado/JC

 

Últimas notícias