Luto

Ídolo da seleção japonesa morre após colapso durante treino

Zagueiro Naoki Matsuda sofreu ataque cardíaco com 15 minutos de corrida e morreu dois dias depois

Miguel Rios
Miguel Rios
Publicado em 04/08/2011 às 15:56
Zagueiro Naoki Matsuda sofreu ataque cardíaco com 15 minutos de corrida e morreu dois dias depois FOTO:
Leitura:

O zagueiro japonês Naoki Matsuda morreu nesta quinta-feira (4/8), dois dias depois de ter sofrido um ataque cardíaco durante um treinamento da sua equipe, o Matsumoto Yamaga. Ele tinha 34 anos e, ao longo da carreira, defendeu a seleção japonesa 40 vezes, tendo, inclusive, disputado a Copa do Mundo de 2002, que aconteceu na Coreia do Sul e no Japão.

Matsuda estava em estado grave desde terça-feira, quando sofreu o colapso enquanto participava de uma atividade do Matsumoto Yamaga, logo depois de realizar uma corrida de aquecimento de apenas 15 minutos.

A notícia da morte foi confirmada nesta quinta pelo presidente do clube, Hiroshi Otsuki, que agradeceu as mensagens de apoio que o jogador recebeu nos últimos dias.

Ao todo, Matsuda realizou 385 partidas pelo Campeonato Japonês, principalmente pela equipe do Yokohama Marinos, onde jogou a maior parte de sua carreira, entre 1995 e 2010. Ele acertou a transferência para o Matsumoto Yamaga apenas neste ano, mas teve a trágica morte nesta quinta-feira, provocando uma grande comoção em todo o Japão.

Tsuneyasu Miyamoto, por exemplo, foi um dos jogadores que lamentaram publicamente a morte de Matsuda. "É um choque enorme", disse o jogador, que já foi capitão da seleção japonesa. "Eu sempre vou me lembrar de ter jogado ao lado dele na Copa do Mundo de 2002. Ele foi um grande companheiro de equipe."

Alberto Zaccheroni, atual técnico da seleção japonesa, também lamentou a morte do jogador. "Eu nunca cheguei a conhecer Matsuda diretamente, mas sabia do grande jogador que ele era por ter o visto jogar no Campeonato Japonês do ano passado", disse o treinador italiano.

Com a morte de Matsuda, o futebol lamenta mais um caso trágico de um jogador que morre de forma súbita e inesperada. Em 2003, o camaronês Marc-Vivien Foe teve um colapso em campo e morreu enquanto defendia o seu país na Copa das Confederações, na França.

Um ano depois, o atacante húngaro Miklos Feher teve o mesmo destino cruel ao sofrer um ataque cardíaco enquanto atuava pelo Benfica em um jogo do Campeonato Português. Também em 2004, o zagueiro Serginho, do São Caetano, faleceu após sofrer um parada cardíaca em uma partida contra o São Paulo, no Morumbi. O mesmo ocorreu com o defensor espanhol Antonio Puerta, em 2007, quando ele defendia o Sevilla em um confronto do Campeonato Espanhol.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias