Justiça

Procuradoria quer julgar Barcelona e ex-presidente Rosell por contratação de Neymar

Clube é acusado de supostamente ter declarado um preço inferior ao que foi realmente pago na contratação

Da Folhapress
Da Folhapress
Publicado em 02/02/2015 às 12:10
Foto: AFP
Clube é acusado de supostamente ter declarado um preço inferior ao que foi realmente pago na contratação - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

O promotor José Perals, da Audiência Nacional da Espanha (órgão equivalente ao Ministério Público), solicitou nesta segunda (2) a abertura de um processo à parte contra o presidente do Barcelona, Josep María Bartomeu, por fraude tributária.

Responsável por investigar crimes financeiros no Barcelona, Perals pediu também ao juiz Pablo Ruz a abertura de ações contra o ex-presidente Sandro Rosell e o próprio Barcelona, acusados de dois crimes fiscais e outro societário.

Os pedidos aconteceram após o promotor ter recebido um relatório da Agência Tributária. Ao analisar os documentos, Perals identificou uma fraude de 2,84 milhões de euros (cerca de R$ 8,6 milhões) do clube espanhol no exercício de 2014, quando Bartomeu já tinha assumido a presidência, em relação à transferência de Neymar.

A decisão de desmembrar a ação contra Bartomeu pretende agilizar o julgamento do outro processo, no qual Rosell e o Barcelona são acusados de fraudes contra o fisco entre 2011 e 2013;

Segundo o relatório da Agência Tributária, o clube catalão deixou de pagar à Receita 2,6 milhões de euros (R$ 7,9 milhões) pelos 5 milhões de euros (R$ 15,2 milhões) que "derivam do contrato de reconhecimento pelo descumprimento do contrato de 2011 pelo FCB, assinado em Barcelona em 3 de junho de 2013".

No acordo, o clube reconhecia a obrigação de pagamento a Neymar de 40 milhões de euros (R$ 122 milhões), conforme o órgão de fiscalização.

A esse contrato, foi adicionado em adendo de modificação das datas do pagamento, estabelecendo que a última parcela, de 5 milhões de euros, deveria ser paga em 30 de janeiro de 2014.

O promotor entende então que o Barcelona estava, já no ano passado, a "praticar a retenção de impostos, pois o jogador já era residente fiscal da Espanha". De acordo com a Agência Tributária, o clube não fez o pagamento, estimado em 2,6 milhões de euros.

Além disso, Perals indicou que o clube deixou de pagar outros 245,7 mil euros (R$ 750 mil) de impostos relativos aos direitos de imagem e ao contrato de representação do agente de Neymar, no caso, o pai do jogador.

VALOR TOTAL

As informações da receita espanhola revelam ainda que o Barcelona gastou 95 milhões de euros (R$ 289 milhões) para contratar o atacante Neymar, então jogador do Santos. Os valores incluem os impostos pagos pela transferência.

Na última vez que se pronunciou sobre o acordo, Bartomeu admitiu que o clube investiu 86,2 milhões de euros (R$ 263 milhões) para contar com o brasileiro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias