JUSTIÇA

Mais uma batalha para Lucas Lyra

O torcedor alvirrubro está com uma infecção na cabeça e precisa fazer cirurgia

Leonardo Vasconcelos
Leonardo Vasconcelos
Publicado em 24/01/2017 às 6:43
Leonardo Vasconcelos / Especial para o JC Imagem
O torcedor alvirrubro está com uma infecção na cabeça e precisa fazer cirurgia - FOTO: Leonardo Vasconcelos / Especial para o JC Imagem
Leitura:

Mais uma batalha para o guerreiro Lucas Lyra. Novamente sua vida está em jogo. A família do jovem informou que um exame detectou uma infecção na prótese colocada na cabeça do torcedor alvirrubro, o que demanda um procedimento cirúrgico com urgência. O problema é que, segundo os parentes de Lucas, a empresa de ônibus Pedrosa, responsável pelo custeio do tratamento do jovem, está protelando a decisão para tentar baratear os custos e ainda não autorizou o internamento. 

A irmã de Lucas, Mirela Lyra, contou que desde o final do ano passado ela notou a saída de uma secreção por um orifício no crânio. “Lucas foi avaliado por diversos médicos do home care e todos minimizaram dizendo que era a expulsão de um ponto. Passaram remédios e nada adiantou. Daí o levamos para o neurocirurgião que o atendeu no Hospital Português. Ele solicitou a retirada de uma amostra dessa secreção. O resultado do exame feito pelo hospital apontou a presença de duas bactérias”, explicou. 

O laudo de Lucas Lyra enviado à Pedrosa, ao qual o JC teve acesso, solicita que “seja autorizado internamento para realização de neurocirurgia para retirada de prótese, acompanhamento clínico e cirúrgico, colocação de cateter e tratamento antimicrobianos de forma urgente visando resolver esse processo infeccioso que pode ter potencial de complicações graves se postergado seu tratamento”. 

A família de Lucas Lyra disse que o documento foi enviado para a Pedrosa na semana passada e somente ontem a empresa se posicionou. “Uma enfermeira do home care me ligou dizendo que na reunião de ontem pela manhã entre a Pedrosa e o hospital não houve acordo financeiro. Só que existe uma ordem judicial que determina que a empresa pague tudo o que for necessário para o tratamento de Lucas. Eles querem pechinchar só que meu irmão simplesmente não pode esperar”, reclamou Mirela. A reportagem do JC entrou em contato com a empresa, mas não obteve resposta.

O CASO

Lucas Lyra foi baleado na cabeça no dia 16 de fevereiro de 2013 após confusão envolvendo torcidas organizadas em frente à sede do Náutico. O autor do disparo foi o ex-segurança da Pedrosa, José Carlos Feitosa Barreto, que vai a júri popular, porém a data segue sem definição. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias