Estupro

Pai de Neymar diz que jogador caiu em armadilha e foi vítima de extorsão

Segundo Neymar pai, os dois fizeram sexo com consentimento entre as partes

Adige Silva
Adige Silva
Publicado em 01/06/2019 às 21:12
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Segundo Neymar pai, os dois fizeram sexo com consentimento entre as partes - FOTO: Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Leitura:

Após o atacante Neymar ser acusado de estupro por uma mulher, o pai do jogador, que cuida de sua carreira, garante que o atleta está sendo vítima de uma acusação mentirosa e que a moça que fez o Boletim de Ocorrência tentou extorquir o jogador após ter tido uma relação sexual com consentimento.

"É uma pessoa acusando o Neymar, mas temos provas de que nada aconteceu. O Neymar caiu nesta armadilha. Agora temos de fazer o possível para mostrar a verdade, porque hoje nem namorar ele vai poder mais", afirmou Neymar pai, em entrevista à TV Bandeirantes

Ele confirmou que a mulher se encontrou com Neymar em Paris. Os dois fizeram sexo, mas segundo Neymar pai, houve consentimento entre as partes. "Foi uma relação consentida, não houve estupro. Depois ela tentou marcar outros encontros, mas o Neymar percebeu que podia ser algum golpe e se afastou", comentou.

A partir daí, um advogado da moça teria procurado o pai de Neymar e seus representantes e exigiu dinheiro para não registrar o Boletim de Ocorrência. "Tiramos fotos, tenho mensagens do whatsapp marcando o encontro comigo e coloquei três testemunhas para esse encontro. Naquele momento não sabíamos os motivos, mas a gente já estava esperando por isso, porque recebemos a extorsão", disse.

"É mais uma lição que a gente aprende, que o Neymar aprende. O estrago é grande porque uma acusação dessas... A Justiça vai saber lidar com isso", afirmou Neymar pai, lembrando que vai conversar com seus advogados para ver o que vai fazer. "Ninguém entrou em contato com a gente. O estranho é que o boletim é de ontem e já vazou. O Neymar não foi notificado e vou ouvir os advogados e tomar as devidas providências."

O caso

Uma mulher, que teve sua identidade preservada, registrou um Boletim de Ocorrência (B.O.) acusando o jogador Neymar, do Paris Saint-Germain e da seleção brasileira, de ter cometido estupro. O crime teria acontecido em Paris, na França, em 15 de maio, às 20h20, em um hotel de luxo da cidade. No documento, a vítima relata que conheceu o jogador pelo Instagram e, após trocas de mensagens, foi convidada por Neymar para ir até Paris para um encontro. Um assessor do atacante, que a moça chamou de "Gallo", entrou em contato e passou os dados da passagem aérea e de hospedagem em Paris.

"O Neymar conseguiu guardar as conversas e tudo o que se fala sobre essa relação. Em nenhum momento fez isso. Sei que meu filho pode ser acusado de muitas coisas, mas sei o menino que ele é. Sei o homem que Neymar é; então, é filho de pai e mãe. Desta vida, a gente vai fazer com que a justiça venha o mais rápido possível", continuou.

Boletim

"Comparece nesta Especializada a vítima qualificada sob o provimento CG 32/2000, noticiando que conheceu Neymar da Silva Santos Junior através das redes sociais (Instagram) e passaram a trocar mensagens. A vítima afirma que Neymar lhe convidou para encontrá-lo em Paris e seu assessor Gallo entrou em contato com a mesma na data de 12/05/2019 e forneceu as passagens e hospedagem. A vítima afirma que embarcou na data de 14/05/2019, chegando em Paris na data de 15/05/2019, hospedando-se no Hotel Sofitel Paris Arc Du Triomphe. A vítima afirma que na mesma data, Neymar chegou por volta das 20:00 no hotel, aparentemente embriagado, começaram a conversar, trocaram carícias, porém em determinado momento, Neymar se tornou agressivo, e mediante violência, praticou relação sexual contra a vontade da vítima. A vítima afirma que foi embora de Paris na data de 17/05/2019 retornando ao Brasil. A vítima afirma que estava abalada emocionalmente e com medo de registrar os fatos em outro país, decidindo registrá-los nesta Especializada em razão de seu endereço residencial. Com base no Princípio da Extraterritorialidade, bem como as partes serem brasileiras, o presente Boletim de Ocorrência foi registrado nesta Especializada, inclusive para fins de encaminhamento aos exames que se fizerem necessários. Informo, por fim, que demais informações a respeito dos fatos foram colhidas em termos próprios, bem como documentos pertinentes. Nada Mais."

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias