De saída?

Conversas sobre saída de Neymar do PSG estão 'mais avançadas', diz diretor

''O PSG ainda não está preparado para aceitar', continuou Leonardo, diretor esportivo do PSG

Maria Eduarda Bravo
Maria Eduarda Bravo
Publicado em 10/08/2019 às 16:56
Notícia
Foto: DOMINIQUE FAGET / AFP
''O PSG ainda não está preparado para aceitar', continuou Leonardo, diretor esportivo do PSG - FOTO: Foto: DOMINIQUE FAGET / AFP
Leitura:

Uma novela que se aproxima do final. O astro brasileiro Neymar não foi relacionado neste sábado (10) para a estreia na Ligue 1 do Paris Saint-Germain, que tem mantido conversas "mais avançadas" sobre sua saída, nas palavras do diretor esportivo do PSG Leonardo Nascimento de Araujo.

Fica a dúvida se o atacante de 27 anos vestiu a camisa azul e vermelha pela última vez no último dia 11 de maio em Angers. Lesionado para as partidas amistosas e ausente da decisão do Troféu dos Campeões por cumprir uma suspensão, o craque vai ficar fora desta vez da partida que marca a volta ao Parque dos Príncipes no domingo contra o Nîmes.

Leonardo, encarregado do caso, justificou essa decisão, que já era esperada, como uma medida para proteger o grupo às vésperas do campeonato que já começou.

"Vamos administrar esses momentos. É importante definir um futuro para todos. Queremos começar bem a temporada e estar concentrados na partida. O resto são conversas", disse o dirigente brasileiro.

Mais tarde, na coletiva de imprensa, o técnico Thomas Tuchel assegurou que o estado físico do astro não permite que ele volte aos campos.

"Ele está em uma fase de treinamento individual, 'in and out' com a equipe. Neymar volta depois de uma lesão (no tornozelo). Não fez uma semana completa com a equipe, e por isso não está em condições de jogar conosco. É a única coisa sobre a qual converso com ele", declarou o técnico alemão, que não respondeu as perguntas sobre o futuro de Neymar.

Mas a situação agora está mais clara: o PSG admitiu o desejo do atacante de sair do clube. Esta é a parte mais delicada para os parisienses, a de encontrar um destino para o jogador, um clube que seja capaz de contratar o jogador mais caro do planeta, comprado por 222 milhões de euros em 2017.

Barça contra Real Madrid 

Apesar das conversas "mais avançadas", Leonardo não mencionou nenhum interlocutor. "Mas o PSG ainda não está preparado para aceitar", acrescentou o ex-jogador tetracampeão do mundo em 1994, que tem fama de duro nos negócios.

O Barcelona, clube no qual Neymar conquistou a Liga dos Campeões em 2015, seria o destino ideal para um jogador que jogou ao lado de Lionel Messi, mas a imprensa falava na sexta-feira de um interesse do Real Madrid, pronto para competir com seu grande rival catalão.

A novela ameaça se estender até o próximo dia 2 de setembro, data do encerramento do 'mercato', após várias semanas repletas de rumores sobre a situação do craque.

Depois de voltar uma semana tarde aos treinos em julho, parecia que as relações entre Neymar e o clube haviam ficado menos tensas durante a turnê promocional na China, onde o camisa 10 retomou os treinos coletivos, se mostrando contente diante da imprensa.

Seu companheiro Kylian Mbappé também manifestou o desejo de que seu talentoso companheiro ficasse pelo menos mais um ano no clube.

Mas a calmaria durou pouco. Assim como seu amigo Dani Alves, que deixou Paris neste verão para jogar no São Paulo, e o goleiro Kevin Trapp, próximo aos brasileiros e que assinou com o Eintracht Frankfurt, Neymar não deixa dúvidas sobre seu futuro, que não parece passar por Paris.

No domingo ele não verá a torcida parisiense, que não digeriu bem as declarações feitas em julho, sobre a histórica virada do Barcelona sobre o PSG na 'Champions' de 2017, "uma das melhores recordações", segundo ele. Mas os torcedores poderão ao menos aplaudir Kylian Mbappé e o uruguaio Edinson Cavani, que deverão carregar nas costas o ambicioso projeto do PSG.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias