Futebol de Várzea

Recife Bom de Bola terá mais de 600 equipes na disputa

Ao todo, são sete categorias no futebol de campo e duas no futsal

JC Online
JC Online
Publicado em 10/08/2019 às 15:36
Notícia
Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR
Ao todo, são sete categorias no futebol de campo e duas no futsal - FOTO: Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR
Leitura:

O Recife Bom de Bola deste ano conta com mais de 600 times inscritos entre o futebol de campo e o futsal. São 490 no primeiro, dividido em sete categorias, e 119 no futsal, separado em duas frentes. Com a estreia tendo acontecido neste sábado, os jogos seguirão durante todos os fins de semana até o dia 15 de dezembro, onde será disputada a grande final na Arena de Pernambuco. A competição conta com a cobertura da TV Jornal e dos veículos do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação.

As categorias envolvidas são no futebol de campo são: Aberto, Veterano, Sub-11, Sub-13, Sub-15, Sub-17 e Feminino. As disputas ocorrem dentro das Regiões Político-Administrativas (RPA’s) do Recife, onde o campeão de cada RPA e as duas equipes com melhores índices técnicos avançam para a fase final, disputada por oito times. Todos os times que conquistarem o título, além dos vices das sete categorias, receberão troféus e medalhas, enquanto que os terceiros colocados de cada categoria receberão medalhas. 

No futsal, há as categorias adulto e feminino. Os jogos acontecem dentro das RPA’s e os campeões dessas chaves ganharão troféus e medalhas, assim como os três primeiros colocados da fase final. A entrada da modalidade no Recife Bom de Bola era uma reivindicação antiga e agora integra a disputa, com o apoio da Federação Pernambucana de Futsal (FPFS).

O Recife Bom de Bola é um projeto é grande, envolvendo milhares de pessoas em todo o processo, indo da sua elaboração até às disputas. Tudo isso demanda uma organização para que seu principal objetivo seja alcançado: a inclusão social, através da criação de oportunidades, inclusão de jovens e integração das comunidades do Recife através do esporte.

“A gente tem toda uma cobertura da mídia. Muitos talentos são revelados no Recife Bom de Bola, e é uma janela de oportunidade e visibilidade para nossos atletas. Claro, disputar uma final na Arena de Pernambuco é uma oportunidade única e emocionante. As finais são televisionadas e é uma experiência marcante e inesquecível para nossos atletas. Muitos deles são revelados e são aproveitados pelos grandes clubes da capital. Então o Bom de Bola tem todo esse legado e contribuição social importante que vai além de uma partida de futebol”, avaliou a Secretária de Turismo, Esportes e Lazer da Prefeitura do Recife, Ana Paula Vilaça, em entrevista concedida à Rádio Jornal

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias