QUEDA LIVRE

Rendimento do Náutico despencou nas últimas oito rodadas

Time alvirrubro teve cinco derrotas, dois empates e apenas uma vitória, com retrospecto sofrível de 21%

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 19/07/2016 às 8:09
Foto: JC Imagem
Time alvirrubro teve cinco derrotas, dois empates e apenas uma vitória, com retrospecto sofrível de 21% - FOTO: Foto: JC Imagem
Leitura:

O sinal de alerta está ligado no Náutico. As últimas rodadas do alvirrubro na Série B foram desastrosas. Principalmente se a comparação for com o bom início do time na competição. Nas oito primeiras partidas da Segundona, o Timbu conseguiu cinco vitórias, um empate, duas derrotas e aproveitamento de 66% - digno de uma equipe que figura no G-4 e briga pelo acesso. Porém, nos últimos oito jogos, a maré virou e os comandados de Alexandre Gallo passaram a apresentar um rendimento daqueles que lutam para fugir do Z-4: cinco derrotas, dois empates e apenas uma vitória, com retrospecto sofrível de 21%.

 

Bastante experiente e acostumado aos altos e baixos do futebol, o meia Hugo acredita que o que tem prejudicado o desempenho do Náutico em campo nos últimos compromissos tem sido o psicológico dos atletas.

“Pelo que avaliei do grupo, essa queda de rendimento está relacionada com a parte mental, pois treinamos muito, os jogadores são os mesmos... Só houve a questão dos problemas de lesão que, de fato, vem atrapalhando bastante. Mas, dentro desse contexto, não tem outra coisa que explique essa queda que não seja o psicológico”, falou o meia.

A situação do Náutico é ainda mais preocupante quando analisada a produção de gols feitos e sofridos nos dois períodos da competição. Se nos primeiros oito jogos, o Náutico marcou 18 gols e sofreu apenas seis, o panorama é completamente diferente nos últimos confrontos, com o Timbu marcando oito vezes e levando incríveis 16 gols.

“A maioria dos gols que estamos sofrendo a culpa é nossa. Estamos cometendo erros que não podem acontecer e isso têm originado muitos gols para os adversários”, contou Hugo.

Diante dessa deficiência apresentada pelo Náutico, a diretoria alvirrubra já avisou que vai procurar reforçar o setor defensivo para o restante da Série B.

“Os números não mentem. Nos oito primeiros jogos só tomamos seis gols. Já nos oito últimos foram 16. Vamos nos reunir com a comissão técnica e vamos fazer o possível para qualificar ainda mais o elenco para conquistarmos o acesso”, garantiu Eduardo Henriques, diretor de futebol do Náutico.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias