decisão

Capacidade dos Aflitos é ampliada para Náutico x Botafogo; Timbu aumenta carga de ingressos

O caldeirão alvirrubro vai comportar 14.495 pessoas

JC Online
JC Online
Publicado em 19/02/2020 às 14:52
Notícia
ARNALDO CARVALHO/ JC IMAGEM
Náutico também perdeu a chance de subir para a Série A em 2016. - FOTO: ARNALDO CARVALHO/ JC IMAGEM
Leitura:

Após laudo do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar atestar segurança, o Náutico anunciou o aumento da capacidade dos Aflitos para o jogo desta quarta-feira (19) contra o Botafogo, válido pela segunda fase da Copa do Brasil. O caldeirão alvirrubro vai comportar 14.495 pessoas. A capacidade liberada anteriormente era de pouco mais de 11 mil lugares.

Com isso, o Timbu se apressou em disponibilizar nova carga de ingressos meia-entrada para sua torcida, que já estão sendo vendidos na sede social dos Aflitos. Os ingressos custam R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia-entrada). Para avançar de fase, o Timbu precisa vencer. Um empate leva a decisão para os pênaltis.

Edno descarta 'rios de dinheiro'

O presidente do Náutico, Edno Melo, detalhou a divisão da cota da Copa do Brasil caso o Timbu supere o Botafogo e avance para a próxima fase da competição. Se confirmar o triunfo nesta quarta-feira, a equipe alvirrubra vai faturar R$ 1.450 milhão, mas, de acordo com o mandatário, a conta não é tão simples. Há algumas obrigações financeiras e o Náutico não vai embolsar o valor completo da cota. 

"Nesse valor de imediato você perde 16%. São 6% para a Federação, 5% para o direito de arena e 5% para o INSS (Instituto Nacional de Seguro Social). Depois ainda tem o dinheiro que vai para a Justiça do Trabalho, que fica com 20%. Ainda existe a premiação dos atletas que é mais do que justa. Do total, fica pouco mais R$ 500 mil. É um valor que ajuda bastante, mas não é esse rio de dinheiro que o povo pensa. Uma cota de R$ 1.450 milhão fica pouco mais de R$ 500 mil", explicou o presidente.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias