basquete

Oscar Schmidt é eleito para Hall da Fama nos EUA

O ex-ala da seleção é um dos cinco novos membros anunciados antecipadamente para o principal hall da fama do basquete norte-americano, e entra como representante da "classe internacional" desse ano

Da Agência Estado
Da Agência Estado
Publicado em 15/02/2013 às 16:49
Leitura:

O brasileiro Oscar Schmidt foi eleito nesta sexta-feira (15) para a classe de 2013 do Hall da Fama do Naismith Memorial Basketball. O ex-ala da seleção é um dos cinco novos membros anunciados antecipadamente para o principal hall da fama do basquete norte-americano, e entra como representante da "classe internacional" desse ano. Ele se junta ao ex-pivô Ubiratan Maciel e à ex-ala Hortência Marcari como únicos brasileiros a conseguirem a honraria.

Além de Oscar, outros dois brasileiros concorriam na categoria internacional nesse ano: o ex-jogador Amaury Pasos e o ex-técnico Togo Renan Soares, o Kanela. Grandes nomes do basquete mundial, como o ex-pivô Vlade Divac, que brilhou na NBA entre as décadas de 1990 e 2000, também disputavam a mesma categoria.

Oscar, aliás, é um dos poucos atletas a serem eleitos para o Hall da Fama do Naismith Memorial Basketball sem nunca ter atuado na NBA. O ex-ala chegou a receber convites para jogar na principal liga de basquete do mundo, mas optou por seguir defendendo a seleção brasileira - na época a Federação Internacional de Basquete (FIBA) não permitia jogadores da NBA em partidas internacionais.

Apelidado de "Mão Santa" por sua qualidade nos arremessos de longa distância, Oscar é considerado um dos maiores nomes do basquete brasileiro em todos os tempos. Atuou por clubes como Palmeiras, Sírio, Corinthians, Bandeirantes, Bauru e Flamengo, no Brasil, além de Caserta, Pavia e Valladolid, na Europa, mas foi na seleção que fez história. Sua principal conquista defendendo as cores do País foi a medalha de ouro dos Jogos Pan-Americanos de 1987, quando ajudou a equipe a bater os Estados Unidos na decisão em Indianápolis.

Se Oscar foi o indicado da "classe internacional" a entrar no Hall da Fama nesta sexta, outros quatro nomes ligados ao esporte nos Estados Unidos também já garantiram a honraria. São eles: Richard Guerin, Russ Granik, Roger Brown e Edwin Henderson.

Os eleitos ligados à NBA, à WNBA e ao basquete universitário norte-americano só serão anunciados no dia 8 de abril, durante a decisão da NCAA, o campeonato universitário dos Estados Unidos. Entre os concorrentes estão os ex-jogadores Maurice Cheeks, Gary Payton, Tim Hardaway, a ex-jogadora Dawn Staley, e o ex-técnico Rick Pitino. A cerimônia que marcará a entrada dos eleitos no Hall da Fama acontecerá somente em setembro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias