Ídolo

Giovane Gávio dá palestra no Recife e reencontra estrelas do vôlei pernambucano

Alguns jogadores e ex-atletas do Estado participaram das fases da carreira do ex-jogador

Luana Ponsoni
Luana Ponsoni
Publicado em 02/06/2016 às 9:07
Hesíodo Góes/Seturel-PE
Alguns jogadores e ex-atletas do Estado participaram das fases da carreira do ex-jogador - Hesíodo Góes/Seturel-PE
Leitura:

Destaques contemporâneos e de gerações passadas do vôlei pernambucano se encontraram ontem, no auditório Ribeira, no Centro de Convenções, em Olinda, para prestigiar a palestra A Glória é Fruto do Trabalho, do bicampeão olímpico Giovane Gávio. Muitos deles participaram de várias fases da carreira do ex-jogador da seleção brasileira. Entre os quais André Felippe Falbo Ferreira, mais conhecido como Pampa. O ex-atleta, que trabalha na secretaria de Turismo, Esportes e Lazer do governo do Estado, estava ao lado de Giovane na equipe que conquistou o primeiro ouro olímpico do vôlei masculino brasileiro, nos Jogos de Barcelona-1992.

Na última terça-feira (31), quando a tocha olímpica passou pelo Recife, Pampa já tinha reencontrado o ex-companheiro de seleção. Foi Giovane quem fez a entrega da chama para o pernambucano durante o revezamento. É que o mineiro de Juiz de Fora é embaixador do Bradesco, um dos patrocinadores dos Jogos do Rio, na cerimônia. Como Pampa foi convidado pela empresa para participar do evento, coube a Giovane entregar-lhe o símbolo olímpico.

Outro mito do vôlei estadual que conviveu com o bicampeão olímpico foi Lula Barbosa. Em 1998, ele e Adriano enfrentaram Giovane e Tande na decisão do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, mas a vitória ficou com os adversários. “Além de ter sido um atleta extraordinário, Giovane é um ser humano fora de série. No começo, quando ainda não o conhecia direito, encontrava com ele nas etapas e achava até estranho aquele jeito dele, todo educado e sempre muito preocupado com as pessoas. Depois comecei até a brincar com ele por causa disso”, relembrou Lula.

Após a passagem pelo vôlei de praia, o mineiro voltou para a seleção brasileira e ajudou a equipe nacional a conquistar o inédito título mundial, em 2002, e o seu segundo ouro olímpico, em Atenas-2004. Depois enveredou pela carreira de técnico de vôlei. Como comandante do Sesi-SP, foi o treinador do pernambucano Ary Nóbrega. Desde que Giovane saiu da equipe paulista, no entanto, o jogador que está de férias no Recife, não tinha mais encontrado com o ex-técnico. “Eu trabalhei com Giovane durante três anos no Sesi, fomos vice-campeões da Superliga e três vezes campeões paulistas. Tenho boas lembranças dele”, comentou o atleta do Estado.

Durante a palestra, Giovane falou sobre motivação e excelência na área profissional, fazendo analogias com a sua carreira enquanto jogador da seleção brasileira. O ídolo do vôlei falou a 220 pessoas, a convite da secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco. “Fico grato em poder estar aqui hoje (ontem) com vocês, repassando os conhecimentos que adquiri. E posso dizer a vocês que, a cada dia, nós podemos fazer diferente para irmos em busca dos nossos sonhos”, ressaltou.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias