Alfinatada

'Há um grupinho do futsal que quer me ver fora', desabafa Falcão

Craque está próximo de marcar gol de número 400 pela seleção brasileira

Luana Ponsoni
Luana Ponsoni
Publicado em 31/01/2018 às 11:44
CBFS/Divulgação
Craque está próximo de marcar gol de número 400 pela seleção brasileira - FOTO: CBFS/Divulgação
Leitura:

Depois dos dois gols marcados pela seleção brasileira de futsal na noite da última terça-feira (30), Falcão precisa marcar mais sete vezes para chegar à marca história de 400 tentos pelo Brasil. O atacante chegou aos 393 pelo País na estreia com vitória, por 10x1, da equipe nacional no Grand Prix Internacional de futsal. O adversário foi o Uruguai, que visitou a seleção em Brusque, Santa Catarina.

Aos 40 anos, o jogador se dedica ao futsal há 27. Conhecido pelas declarações francas a respeito da gestão da Confederação Brasileira de Futsal (CBFS), o ídolo brasileiro voltou a dar indiretas aos dirigentes após a vitória sobre os uruguaios. 

"Acho que o grande diferencial é a gente estar com a seleção absoluta aqui. Parecia que o jogo ia ser mais complicado, mas nós acabamos resolvendo. Para mim, eu tenho que estar provando sempre. Desde 2011, há um grupinho do futsal que quer me ver fora daqui. Esse tipo de cobrança só me motiva a estar cada vez melhor. Estou completando 20 anos de seleção e nunca deixei a peteca cair”, declarou o camisa 12.

CLASSIFICAÇÃO

A vitória fez com que o Brasil terminasse a primeira rodada na liderança, ficando à frente da República Checa por um gol de diferença. Um pouco antes, os checos aplicaram 9x0 na Bélgica. Já nesta quarta (31), às 18h15h (do Recife), os brasileiros retornam à quadra diante da Costa Rica.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias