Nordeste Coral

Santa Cruz e Campinense decidem Copa do Nordeste

Na Paraíba, pernambucanos só precisam de um empate para conquistar o título regional

Diego Toscano
Diego Toscano
Publicado em 30/04/2016 às 17:31
André Nery/JC Imagem
Na Paraíba, pernambucanos só precisam de um empate para conquistar o título regional - André Nery/JC Imagem
Leitura:

“És o querido do povo, o Terror do Nordeste, no gramado”. No hino do Santa Cruz, a alcunha mais desejada pelos tricolores poderá ser alcançada neste domingo (1), a partir das 16h. Precisando apenas de um empate para conquistar pela primeira vez a Copa do Nordeste, os tricolores enfrentam o Campinense no estádio Amigão, em Campina Grande. Após um início de temporada irregular, a Cobra Coral pode encerrar a noite, de fato e de direito, como o verdadeiro Terror do Nordeste.

A empolgação, porém, acaba aqui. Entre os jogadores tricolores a hora é, mais do que nunca, de ter os pés no chão. Mesmo com a vitória por 2x1 no jogo da ida e a vantagem do empate, os tricolores preveem uma guerra no Amigão. “Para o Santa Cruz nada é fácil. Não tem nada ganho, precisamos vencer o jogo fora de casa também”, afirmou o atacante Grafite. “Conseguimos abrir uma vantagem, mas ainda tem mais noventa minutos. É a hora de usar uma boa estratégia para buscar o título para esse clube, que merece muito”, complementou o volante Uillian Correia.

Se antes da chegada de Milton Mendes, a pressão por resultados atrapalhava, hoje, a ansiedade toma conta dos atletas. Trabalho para o “técnico-motivador”, que conseguiu, unindo a troca de peças e a conversa, revolucionar as atuações do Santa Cruz na temporada.

“Quando cheguei, a vontade era tremenda de acertar. O nível de cobrança era muito alto e o que vinha sendo colocado em campo não satisfazia ninguém. Agora, acredito que seja uma ansiedade boa, de quem pode conquistar alguma coisa. Essa ansiedade nos abalou um pouquinho no primeiro jogo, mas confio nos meus atletas e sei que faremos uma partida muito mais tranquila e consciente”, afirmou Milton.

Para a partida, o técnico tem apenas uma dúvida nos 11 titulares. Recuperado de um trauma na panturrilha direita, o meia João Paulo viajou para Campina Grande, mas ainda é dúvida para a partida. Se não tiver condições de jogar, o substituto imediato é Leandrinho.

“João Paulo viajou porque é um elemento importante, um dos líderes e um dos capitães da equipe. Se poderá jogar ou não, é uma incógnita. Mesmo sem ele, temos que valorizar o trabalho dos outros jogadores, como Leandrinho e Wellington Cézar. Estamos resgatando cada vez mais atletas que vinham com alguma descrença”, explicou o treinador, que rasgou elogios para o provável substituto de João Paulo. “Leandrinho vem jogando muito bem. Estou muito satisfeito com ele”, finalizou.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias