Ilha do Retiro

João Maradona: o garimpador de talentos do Sport

Olheiro se destaca revelando talentos em peneiras realizadas em cidades nordestinas

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 24/02/2015 às 7:57
Olheiro se destaca revelando talentos em peneiras realizadas em cidades nordestinas FOTO:
Leitura:

É bem provável que a maioria dos torcedores rubro-negros nunca tenha ouvido falar dele, mas João Maradona tem um trabalho importante para o futuro do Sport: garimpar talentos em peneiras realizadas tanto em capitais como em cidades pequenas do interior nordestino. Pernambucano, de 46 anos, ele é o observador técnico (como são agora chamados os olheiros) do clube leonino desde 2007.

Na partida de domingo (22), quando o Sport venceu o Serra Talhada, por 4x2, na Ilha do Retiro, pelo Pernambucano, havia seis atletas revelados por João Maradona (dois titulares e quatro reservas), entre eles o lateral-esquerdo Renê e o atacante Joelinton. Na carreira, perdeu as contas de quantos meninos passaram por suas mãos antes de se profissionalizarem. “Fico feliz em saber que o meu trabalho está mudando a vida de vários garotos”, afirmou.

Todos os anos, João Maradona avalia uma média de 5 mil aspirantes a craque. Menos de 5% deles são aprovados e ganham a chance de ingressar nas categorias de base do Leão. “Cada menino atua por 25 minutos. Nesse período, avalio a sua movimentação em campo e a intimidade que tem com a bola. Sei que muitos vão ficar tristes ao saber que foram reprovados, mas o olheiro não pode ter coração mole”, explicou.

João Maradona não é de falsa modéstia. Logo de cara, diz que recebeu um “dom de Deus” para ser um bom olheiro. “Não existe curso para ensinar ninguém a ver se um menino tem ou não talento para se tornar atleta profissional. Um bom observador é abençoado, recebe o olho clínico para ver quem pode vingar no futebol”, afirmou.

No entanto, reconhece que lhe faltou um pouco mais de “espírito empreendedor”. Segundo Maradona, estaria rico, caso tivesse virado empresário de alguns meninos. “Teria ganhado muito dinheiro no início da carreira, quando trabalhava por conta própria. Mas eu não fazia contrato com os meninos. Quando eles estouravam, nem olhavam para trás. Os jogadores, em sua maioria, são ingratos”, lamentou. “Agora, sou funcionário do Sport, e todos os garotos que são aprovados nas peneiras fecham contrato direto com o clube”, completou.

O técnico Eduardo Baptista, que gosta de dar vez aos pratas da casa, reconhece a importância do trabalho de Maradona. “Todo clube revelador tem um olheiro de qualidade. O Sport é muito feliz nesse sentindo. O Maradona tem uma gama de jogadores aqui dentro de muita qualidade. Alguns sendo bem aproveitados, já jogando no time de cima. Destaco a importância dele em todo o trabalho que está sendo feito no Sport”, afirmou o comandante.


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias