Brasileirão

Diego Souza, do Sport, luta pela artilharia da Série A

Camisa 87 do Leão tem 13 gols, um a menos do que Fred, do Atlético-MG

Alexandre Arditti
Alexandre Arditti
Publicado em 11/12/2016 às 10:46
JC Imagem
Camisa 87 do Leão tem 13 gols, um a menos do que Fred, do Atlético-MG - FOTO: JC Imagem
Leitura:

O discurso não poderia mesmo ser diferente: a prioridade é fazer o Sport garantir por suas próprias forças a permanência na Série A. No entanto, o meia Diego Souza não esconde como seria “bom” coroar a vitória sobre o Figueirense, neste domingo (11), às 16h, na Ilha do Retiro, pela 38ª e última rodada do Brasileirão, marcando gols e se sagrando artilheiro do campeonato em 2016.

Até agora, o camisa 87 do Leão balançou as redes adversárias 13 vezes, uma a menos do que Fred, do Atlético-MG. Como o Galo não vai entrar em campo para enfrentar a Chapecoense (em decorrência do acidente aéreo em Medellín, que matou 71 pessoas, a partida não será realizada), o caminho para o rubro-negro estará um pouco menos complicado. Situação semelhante a vivida por Grafite, do Santa Cruz, que também tem 13 gols no campeonato. 

“A prioridade é a vitória. Mas se eu for artilheiro é sinal de que marquei, de que o Sport estará vencendo e saindo dessa situação. Mas sendo eu ou outro que marque, o importante é vencer a partida. Vou ficar feliz da mesma forma”, disse Diego Souza, que atuou em 33 das 37 rodadas do Brasileirão. “Cobrança e pressão, sempre temos. A maior, neste momento, é a de manter o Sport na Série A”, completou.

Diego Souza garantiu que o elenco está concentrando e experimentando de uma “ansiedade boa” para enfrentar o Figueirense. Reconhecendo que o time andou devendo na temporada, o camisa 87 garante que chegou a hora de retribuir o apoio recebido e de dar um merecido presente de Natal para a torcida rubro-negra.

“Foi um ano sofrido para o nosso torcedor. (A vitória) Tem que ser o presente de Natal para o nosso torcedor. A nossa torcida merece isso”, afirmou Diego Souza, que marcou pela última vez na vitória por 3x0 sobre o Grêmio, no dia 7 de novembro, em Porto Alegre. Na ocasião, balançou as redes duas vezes.

Questionado se estava preocupado com os resultados de outros jogos da rodada (leia-se o do Inter), Diego Souza foi categórico ao dizer que “não” e se saiu com um leve tom de provocação. “O foco é no nosso trabalho. Só dependemos da gente na última rodada. Só dependemos de vencer nossa partida. Difícil é para o Internacional, que depende de outros resultados. Acabou o jogo podemos comemorar tranquilos, sem ter que esperar outros resultados. Eles não”, comentou o camisa 87.

RETROSPECTO

Independentemente de ser ou não o artilheiro da Série A, Diego Souza já comemora em 2016 a sua melhor marca pessoal em Brasileiros. Seu recorde anterior havia sido estabelecido em 2013, com a camisa do Vasco, quando marcou 11 gols.

Pernambuco teve dois artilheiros na história do Brasileirão: Bita (10 gols, em 1966, pelo Náutico) e Ramon (21, em 1973, pelo Santa Cruz).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias