Rubro-negro

Guto Ferreira comenta sobre os três empates seguidos do Sport

Técnico leonino também comentou sobre o apoio recebido por parte da torcida

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 23/07/2019 às 8:13
Notícia
Foto: Anderson Stevens/Sport Club do Recife
Técnico leonino também comentou sobre o apoio recebido por parte da torcida - FOTO: Foto: Anderson Stevens/Sport Club do Recife
Leitura:

O retorno do Sport para a Série B depois da pausa para a Copa América remete ao começo do clube na competição nacional. Nos três primeiros jogos, três empates consecutivos. Nos duelos contra o São Bento-SP e Cuiabá, fora de casa, o Leão esteve na frente do placar e cedeu o empate para o adversário. Contra o Brasil de Pelotas, na Ilha do Retiro, a equipe pressionou bastante mas não conseguiu balançar as redes. De acordo com a soma pelos pontos desperdiçados na avaliação do técnico Guto Ferreira, o Rubro-negro poderia estar em uma colocação bem melhor agora.

“Seis pontos a mais, hoje, nos colocariam com 24 pontos. Indiferente de quem jogasse na rodada, nós éramos líderes. Mas não adianta olhar pra trás, porque esses pontos não vão voltar. Não vamos disputar eles de novo, vamos disputar os próximos. Nós temos que focar para ganhar os próximos jogos. Temos três empates seguidos e que busquemos três vitórias seguidas e mais três seguidas. É possível e temos acreditar sempre. Temos que ter o torcedor do nosso lado. Compreendemos a indignação do torcedor. Nós também não estamos contentes, queremos melhorar”, avaliou o treinador.

TORCIDA

O torcedor do Sport compareceu em bom número na Ilha do Retiro. Ao todo, 9.362 aficionados estiveram presentes e saíram com um sabor amargo pelo empate. Ao fim do jogo, muitas vaias pela falta de pontaria do time leonino. As críticas são compreendidas pelo comandante, que pede a continuidade desse apoio nos próximos jogos, acreditando como fundamental esse comparecimento no estádio.

“Se a torcida vier nos apoiando, empurrando, é muito melhor. Eu costumo dizer que um exemplo vivo de raça, gana e luta, é o torcedor argentino. Eles só vão contra equipe, fazem algum tipo de manifestação após 90 minutos. Nos 90 minutos, eles dão vida empurrando a equipe. Aqui a torcida do Sport tem muito disso também. Pode ter um ou outro que dá seus pitacos e seus gritos, mas a torcida foi empurrando tempo todo. Esse tipo de comportamento nos ajuda bastante. Sempre que a gente contar com esse perfil torcedor, é muito bom. Espero contar sempre. Jogar aqui na Ilha é muito difícil por causa disso, porque a torcida vem junto”, finalizou o treinador do Sport.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias