ANSIEDADE

Ansiedade pelo acesso anda mexendo com os jogadores do Sport

Rubro-negros admitem que precisam controlar a ansiedade até que a classificação matemática seja concretizada

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 08/11/2019 às 7:56
Notícia
Foto: JC Imagem
Rubro-negros admitem que precisam controlar a ansiedade até que a classificação matemática seja concretizada - FOTO: Foto: JC Imagem
Leitura:

Uma das definições da palavra ansiedade, segundo o dicionário, é: sofrimento de quem espera o que é certo vir; impaciência. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo, com cerca de 18,6 milhões de brasileiros (9,3% da população). E, nessa reta final da Série B, certamente, boa parte dessas pessoas que se enquadram no perfil dos ansiosos são de torcedores rubro-negros, que aguardam ansiosamente pela confirmação do retorno do Sport à Primeira Divisão.

Um desses rubro-negros ansiosos para que o acesso à Série A seja sacramentado o quanto antes é o atacante Guilherme. “Nessa hora a ansiedade bate, com certeza. Ainda mais agora que estamos bem perto do acesso. Mas temos de ir devagar, com os pés no chão. Não podemos nos afobar. Essa ansiedade que estamos sentindo é boa... É aquela de conquistar algo muito grande para o clube esse ano, que é colocar o Sport na Primeira Divisão. Sendo que é preciso ir com calma, pois já já conseguiremos o nosso objetivo”, falou o vice-artilheiro da Série B, com 13 gols marcados.

O atacante leonino, que foi novamente recentemente, confessa que a chegada de mais um filho tem o ajudado um pouco a não pensar tanto nas contas para se classificar e nos adversários. “É difícil (controlar a ansiedade) pois estamos muito perto. Só dependemos de nós. Ainda bem que não dependemos de ninguém para conquistarmos o nosso objetivo, que desde o começo do ano é o acesso e colocar o Sport na Primeira Divisão... Tanto a Pietra, como o Guilherme Júnior têm me ajudado a esquecer um pouco. Por isso perguntei a vocês se estava com cara de sono, pois fico com os meus pequenos lá (em casa) e dou uma distraída um pouco”, contou Guilherme.

TÍTULO

Apesar de o primeiro objetivo do Sport ser o acesso, o atacante não decretou o fim do sonho de levantar o troféu de campeão da Segundona. “Eu já falei que quero algo a mais... E ainda sonho (com o título). Se tem possibilidade, vou continuar sonhando com ele. Não torço contra o Bragantino, só torço para o Sport. Temos de fazer a nossa parte e deixar as coisas acontecerem. Se tiver de ser, vamos ser campeões. Se não for, paciência. Eu, Guilherme, acredito. Então, vamos buscar. Sábado temos mais uma chance de vencer e, quem sabe, encostar no Bragantino”.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias