ilha do retiro

No SJCC, Thyere e Luan Polli comemoram acesso do Sport: 'ficha não caiu'

Os jogadores do Sport Rafael Thyere e Luan Polli estiveram no Sistema Jornal do Commercio para falar sobre o jogo do acesso à Série A

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 21/11/2019 às 13:28
Notícia
Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Os jogadores do Sport Rafael Thyere e Luan Polli estiveram no Sistema Jornal do Commercio para falar sobre o jogo do acesso à Série A - FOTO: Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Leitura:

Um dia após o Sport confirmar o acesso à Série A do Brasileiro, o goleiro Luan Polli e o zagueiro Rafael Thyere falaram sobre a expectativa para 2020 e a vitória por 2x1 sobre a Ponte Preta em visita ao Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC). Nesta quinta-feira, os atletas rubro-negros admitiram que o time teve um desempenho aquém do esperado no primeiro tempo e que a conversa no intervalo do jogo foi fundamental para mudar a postura da equipe.

"O primeiro tempo foi um pouco aquém do que a gente apresentou durante o campeonato. No intervalo a gente conversou e se fechou, se concentrou mais ainda. Passamos pela a primeira tensão de estar ali em busca do acesso. Deixamos isso de lado para jogar nosso futebol. Conseguimos colocar o jogo em campo e realmente foi outro Sport. Junto com o apoio do torcedor conseguimos buscar o resultado", falou Luan Polli, que completou seu oitavo jogo como titular na equipe rubro-negra.

Antes ocupando a posição de terceiro goleiro, Luan foi escolhido para substituir Mailson no segundo semestre de 2019. Contra a Ponte Preta, foi um dos destaques ao salvar o Leão com grandes defesas. Sobre sua trajetória na Ilha do Retiro, o goleiro lembrou de Magrão e Mailson e confessou que a ficha ainda não caiu.

"A ficha ainda não caiu. Muito coisa vem acontecendo. E ter essa ascensão ao substituir um grande goleiro como Mailson e antes ainda teve Magrão. Goleiro nunca tem vida fácil. E ainda substituir Magrão e Mailson, que foram peças fundamentais para o Sport. Não é uma situação muito fácil. Mas acho que com trabalho, dedicação e com o processo natural de cada situação as coisas consequentemente acontecem", falou o atleta, que lembrou uma das defesas contra a Ponte Preta. "Eles tiveram a oportunidade de fazer o segundo (gol) e foi aquela defesa rasteira. Foi uma bola muito rápida e no jogo foi uma coisa tão natural. A gente esta tão acostumado que parece que foi uma coisa muito simples. Mas depois olhando o VT pode ter sido a defesa que segurou o acesso", observou o goleiro, que tem contrato até o final do ano que vem.

ANSIEDADE ATRAPALHOU

Thyere compartilhou a opinião do companheiro de time sobre o nervosismo no primeiro tempo do jogo da quarta-feira. O zagueiro lembrou a ansiedade que dominou o vestiário nos últimos dias. "A ansiedade é natural. É impossível estar tão perto do acesso e não ficar ansioso. No primeiro tempo eu vi muito isso de o time querer fazer o gol, querer consagrar o acesso e não conseguir. Muitas vezes o atleta tem que saber receber as vaias. Mas no segundo tempo gente conseguiu coroar a campanha que a gente fez na Série B. Ver o torcedor feliz não tem preço", comentou o zagueiro, que confessou que tem interesse em permanecer no Sport apesar de seu contrato encerrar com o final da Série B. "Eu tenho contrato com o Grêmio e meu contrato com o Sport vai até a final da Série B. O pessoal também estava esperando o acesso para começar a planejar o próximo ano. Eu estou muito feliz aqui, com minha esposa, minha filhinha. Elas se adaptaram super bem. E para mim é uma honra poder vestir a camisa do Sport", concluiu.

O Sport, que tem 67 pontos e segue na vice-líder, entra em campo mais uma vez pela Série B. Na última rodada da Segundona, o Leão enfrentará o Atlético-GO, no estádio Antônio Accioly, no próximo sábado, às 16h30.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias