desfile

Homem da Meia-Noite encantou multidão em Olinda

Calunga desfilou pelas ruas lotadas da cidade e, pela 83ª vez, saudou os seus admiradores

Amanda Tavares
Amanda Tavares
Publicado em 15/02/2015 às 5:24
Foto: Edmar Melo/JC Imagem
FOTO: Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Leitura:

O Homem da Meia-Noite faz questão de manter a tradição. E por isso, pontualmente, à 0h deste domingo (15), pela 83ª vez, cruzou a porta da sede do seu "Clube de Alegoria e Crítica", no Largo do Bonsucesso, em Olinda, encantando uma multidão, que aguardava ansiosa, há horas.

Este ano o clube desfilou com o tema “O místico, o mágico e o fantástico” e homenageou Pedro Garrido, carregador do calunga há mais de 20 anos, maestro Forró (da Orquestra Popular da Bomba do Hemetério) e o jornalista Chico Pinheiro, da Rede Globo. O traje do Homem da Meia-Noite, camisa verde-escura e fraque preto, foi confeccionado pelo artista plástico olindense João Andrade.

Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Homem da Meia Noite faz a festa nos braços do povo, em Olinda - Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Homem da Meia Noite faz a festa nos braços do povo, em Olinda - Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Homem da Meia Noite faz a festa nos braços do povo, em Olinda - Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Homem da Meia Noite faz a festa nos braços do povo, em Olinda - Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Homem da Meia Noite faz a festa nos braços do povo, em Olinda - Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Homem da Meia Noite faz a festa nos braços do povo, em Olinda - Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Homem da Meia Noite faz a festa nos braços do povo, em Olinda - Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Homem da Meia Noite faz a festa nos braços do povo, em Olinda - Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Homem da Meia Noite faz a festa nos braços do povo, em Olinda - Foto: Edmar Melo/JC Imagem

 

Logo o calunga ganhou as ruas, que parecem ficar mais cheias a cada ano. E, sob a regência dos maestros Carlos (oficial da agremiação) e Forró, a orquestra do Gigante emocionou a todos com os versos do hino do clube. Artistas como Conxitas e o grupo Flor da Lira participaram da festa e homenagearam o calunga. O presidente da agremiação, Luiz Adolpho Alves, não escondia a emoção de, mais uma vez, poder ver o sucesso do Gigante na rua. E tinha certeza de que foi superada a expectativa dos organizadores de arrastar 400 mil foliões. "Este ano a quantidade de gente surpreendeu. Sem dúvida tivemos um público ainda maior nas ruas. É muito gratificante, é mágico ver esse carinho que o povo tem pelo calunga", afirmou.

A professora Elisabete Chagas acompanha o desfile há mais de duas décadas. Levava as filhas desde quando elas eram crianças. Desde o ano passado leva também o neto, agora com um ano e três meses. "No desfile de 2014 ele (o menino) chamou atenção das pessoas, porque ainda estava muito novinho e mesmo assim trouxemos. É uma tradição da nossa família. E, quando o calunga passa, não há quem segure as lágrimas", conta.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias