fogo

Incêndio em hospital universitário no Rio tem prejuízo estimado em R$ 5 milhões

Causas do incêndio, que durou cerca de quatro horas, ainda são desconhecidas.

Allan Nascimento
Allan Nascimento
Publicado em 04/07/2012 às 21:47
Leitura:

RIO DE JANEIRO – O reitor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Ricardo Vieiralves, disse nesta quarta (4) que o prejuízo causado pelo incêndio que atingiu o Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe), em Vila Isabel, pode chegar a R$ 5 milhões. As causas do incêndio no almoxarifado do hospital, que durou cerca de quatro horas, ainda são desconhecidas. No local havia diversos produtos inflamáveis, o que contribuiu para a propagação das chamas.

O governador Sérgio Cabral esteve no local e garantiu a recuperação do hospital. "Vim aqui garantir o nosso total apoio para que se possam fazer os gastos necessários para a recuperação física e estrutural do que for preciso".

Segundo a assessoria do hospital, foi registrada uma morte, da paciente Edenir Pereira, 65 anos. A inalação de fumaça pode ter agravado o quadro de saúde da vítima, que sofria de problemas pulmonares. As causas da morte ainda estão sendo investigadas.

De acordo com o reitor da UERJ 15 pacientes, entre eles, sete bebês, foram transferidos para hospitais da região. Segundo ele, as crianças estavam na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal.

O Corpo de Bombeiros ainda não terminou o trabalho de limpeza da área atingida pelo incêndio. Nesta quinta (5) será feita uma perícia complementar para verificar a situação do prédio. Segundo o secretário de Defesa Civil e Comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões, "aparentemente não há indícios de danos estruturais".

As seis enfermarias atingidas pelo fogo continuam interditadas e os pacientes foram transferidos. As consultas, cirurgias e tratamento de hemodiálise estão suspensos. Já os pacientes submetidos a tratamentos de quimioterapia e radioterapia serão atendidos normalmente nesta quinta (5), bem como os que já estavam agendados para coleta de sangue para exames laboratoriais.

Em nota, a secretaria de Estado de Saúde informou que colocou a disposição da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia, um hospital de campanha para dar auxílio à unidade, mas até o início da noite desta quarta-feira (4) nenhum carregamento desse porte foi visto chegando ao hospital, onde cerca de 320 pacientes estão internados.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias