Fuzilamento

Indonésia nega pedido de clemência para Rodrigo Gularte

A data da execução não foi fixada, segundo a chancelaria

AFP
AFP
Publicado em 20/01/2015 às 22:40
Leitura:

O brasileiro Rodrigo Gularte deve ser fuzilado na Indonésia por tráfico de drogas, após as autoridades do país asiático negarem o pedido de clemência realizado pelo governo brasileiro, informou nesta terça-feira o Itamaraty.

"O pedido de clemência de Rodrigo Gularte foi negado pelas autoridades indonésias", revelou a chancelaria em Brasília. 

Gularte, 42 anos, foi condenado à morte em 2005 por ingressar na Indonésia com seis quilos de cocaína escondidos em pranchas de surf. 

A data da execução não foi fixada, segundo a chancelaria.

No final de semana passado, a Indonésia fuzilou seis condenados por tráfico de drogas, entre eles o brasileiro Marco Archer Cardoso.

Após o fuzilamento, a presidente Dilma Rousseff - que tentou em vão salvar a vida de Marco Archer - chamou para consultas o embaixador brasileiro em Jacarta para manifestar seu repúdio à execução.

Apesar da rejeição do segundo e último pedido de clemência previsto no processo, a defesa de Rodrigo Gularte ainda mantém a esperança de que Jacarta reconsidere sua decisão por razões médicas. 

Diagnosticado com esquizofrenia, Gularte poderia evitar a execução com uma transferência para um hospital psiquiátrico, como prevê a lei indonésia. 

Clarisse Gularte, mãe de Rodrigo, que visitou o filho em agosto de 2014, contou que ele está "totalmente transformado" e quinze quilos mais magro. 

"Reconheço que Rodrigo cometeu um erro, mas não se justifica a pena de morte (...) não foi um crime tão grave. Ele está (preso) há mais de dez anos e acredito que já pagou o suficiente".


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias