ROMPIMENTO DE BARRAGEM

Tragédia de Mariana completa três anos

Dezenove pessoas morreram e comunidades foram destruídas. Houve também poluição da bacia do Rio Doce e devastação de vegetação

Amanda Azevedo
Amanda Azevedo
Publicado em 05/11/2018 às 16:39
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
FOTO: Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
Leitura:

A tragédia de Mariana, em Minas Gerais, completa três anos nesta segunda-feira (5). Na ocasião, uma barragem da mineradora Samarco se rompeu liberando rejeitos de mineração no ambiente. No episódio, 19 pessoas morreram e comunidades foram destruídas, como o distrito de Bento Rodrigues. Houve também poluição da bacia do Rio Doce e devastação de vegetação. Desde novembro de 2016, tramita na Justiça Federal de Ponte Nova (MG) uma ação criminal sobre a tragédia, que se tornou o maior desastre ambiental já registrado no país.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
- Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
- Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
- Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
- Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
- Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
- Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasi
-

Veja alguns fatos ocorridos no decorrer desse período. 

Novembro de 2015

Barragem de Fundão, da mineradora Samarco, se rompe em Mariana liberando cerca de 39 milhões de metros cúbicos de rejeitos, causando 19 mortes, destruição de comunidades, devastação de vegetação e poluição da bacia do Rio Doce.

Março de 2016

Mineradoras, governo federal e governos de Minas Gerais e do Espírito Santo firmam termo para reparação dos danos.

Abril de 2016

Conselho do Patrimônio Cultural de Mariana (Compat) decide pelo tombamento dos distritos de Bento Rodrigues e Paracatu.

Maio de 2016

Moradores do distrito de Bento Rodrigues escolhem o local para reconstrução da comunidade.

Justiça Federal homologa acordo entre mineradoras e governos; MPF contesta.

Junho de 2016

Fundação Renova é criada para gerir as ações de reparação dos danos.

Agosto de 2016

Justiça Federal anula a homologação de acordo.

Outubro de 2016

Vinte e duas pessoas e quatro empresas são denunciadas por crimes da tragédia de Mariana.

Novembro de 2016

Justiça aceita a denúncia criminal.

Samarco consegue aval para usar depósito em Ouro Preto e planeja retorno das atividades.

Janeiro de 2017

Mineradoras e MPF fecham acordo que pode levar à extinção da ação civil pública.

Abril de 2017

Empregados da Samarco aceitam segundo período de layoff.

Julho de 2017

Prefeitura de Santa Bárbara nega documento para que Samarco retome as atividades.

Justiça federal suspende tramitação da ação criminal da tragédia.

Outubro de 2017

Samarco prorroga por mais cinco meses o período de layoff de 800 funcionários.

Novembro de 2017

Justiça federal determina retomada da tramitação da ação criminal.

Fevereiro de 2018

Moradores de Bento Rodrigues aprovam projeto urbanístico para reconstrução da comunidade.

Maio de 2018

Fundação Renova implanta o canteiro de obras para reconstrução de Bento Rodrigues.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias