Roubo

Disfarçado de policiais federais, grupo rouba 750 kg de ouro no Aeroporto de Guarulhos

A carga está avaliada em US$ 30 milhões, cerca R$ 113 milhões

Agência Brasil, com informações do G1
Agência Brasil, com informações do G1
Publicado em 25/07/2019 às 17:51
Notícia
Foto: Reprodução
A carga está avaliada em US$ 30 milhões, cerca R$ 113 milhões - FOTO: Foto: Reprodução
Leitura:

Oito homens fortemente armados invadiram, nesta quinta-feira (25), o armazém de exportação do terminal de cargas do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, e roubaram, sem disparar um único tiro, 750 quilos de metais preciosos, incluindo ouro. A ação, segundo informações da GRU Airport, concessionária responsável pelo aeroporto, ocorreu por volta das 14h30. A carga está avaliada em US$ 30 milhões, cerca R$ 113 milhões.

O grupo - que usava roupas de policiais federais e estavam encapuzados, com distintivos, pistolas, fuzil e carabinas -, entrou no armazém em dois veículos clonados simulando viaturas da Polícia Federal, ambas sem placas. Uma era do modelo Triton e a outra, uma Pajero Dakar. Os ladrões abordaram os agentes do terminal de cargas e roubaram um carro-forte da Brink's. Os metais preciosos seguiriam para Zurich e Nova York. A concessionária informou que não houve tiroteio ou feridos.

A operação de embarque e desembarque não foi afetada pelo roubo e funciona normalmente. A ação está sob investigação das autoridades policiais que atuam no aeroporto.

Carro usado pelos criminosos/Divulgação Polícia Civil

Informações privilegiadas

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que os assaltantes mantiveram o supervisor de logística como refém e que a família dele estava com os criminosos sob cárcere privado desde a noite anterior. Os reféns já foram liberados. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, os assaltantes podem, dessa forma, ter tido acesso a informações privilegiadas das operações no terminal.

Confira a ação

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias