EPIDEMIA

Contraprova confirma primeiro caso de coronavírus no Brasil

Nessa terça-feira (25), o paciente havia recebido um primeiro teste positivo para o vírus e o novo exame confirmou a infecção

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 26/02/2020 às 9:38
Notícia
Foto: ATTA KENARE/AFP
Nessa terça-feira (25), o paciente havia recebido um primeiro teste positivo para o vírus e o novo exame confirmou a infecção - FOTO: Foto: ATTA KENARE/AFP
Leitura:

O exame de contraprova realizado no brasileiro que chegou da Itália na sexta-feira (21) confirmou a infecção do homem de 61 anos pelo novo coronavírus. Nessa terça-feira (25), o paciente havia recebido um primeiro teste positivo para o vírus. No momento, há vinte casos suspeitos da doença no país. Os casos suspeitos estão assim espalhados: Paraíba (1), Pernambuco (1), Espiríto Santo (1), Minas Gerais (2), Rio de Janeiro (2) e Santa Catarina (2) e São Paulo (11). Cinquenta e nove casos suspeitos foram descartados Cinquenta e nove casos suspeitos foram descartados.

 

“Agora é que vamos ver como este vírus vai se comportar em um país tropical, durante o verão”, disse hoje o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

“Como vai ser o padrão de comportamento deste vírus, que é novo e tanto pode manter o mesmo padrão de comportamento de transmissão que apresentou no hemisfério Norte, onde, nesta época, está fazendo frio”, disse o ministro.

» Após confirmação de primeiro caso, diretor da OMS diz que Brasil tem 'grau de preparação bom' para lidar com coronavírus

» O que se sabe até agora sobre 1º caso suspeito do novo coronavírus em Pernambuco

Com a confirmação, o homem passa a ser oficialmente o primeiro caso da infecção no Brasil e na América do Sul. Ele voltou ao Brasil, após viajar à Itália, na região da Lombardia (norte do país), a trabalho, sozinho, no período de 9 a 21 de fevereiro de 2020. O país europeu já registrou mais de 220 casos e sete mortes pela doença.

O homem, que não teve a identidade revelada, deu entrada no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, com sintomas de infecção pelo novo coronavírus. Após avaliação e exames médicos, a presença do vírus foi confirmada. Apesar disso, segundo a unidade de saúde, o paciente foi enviado para casa, onde está "em isolamento respiratório, que será mantido durante os próximos 14 dias". Em nota, o Hospital Albert Einstein afirmou neste domingo que a equipe médica continuará monitorando o estado de saúde do paciente, assim como os das pessoas que tiveram contato próximo com ele.

Iniciado na China em dezembro de 2019, o surto já tem cerca de 80 mil casos pelo mundo e mais de 2,6 mil mortes. Desde o sábado (22), a explosão de casos de infecção pelo vírus na Itália tem elevado o alerta global sobre a doença, considerada emergência global pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Medidas do governo

De acordo com o Estado, o governo está em fase final de compra de equipamentos, como máscaras e luvas. Já a contratação de mil leitos em hospitais, anunciada em janeiro, ainda está em análise. O governo corre para garantir a compra de imunoglobulina, usado em pacientes com imunidade baixa e para amenizar efeitos de infecções.

A ideia é trazer o produto emergencialmente da China e da Coreia do Sul, mas a finalização da importação espera aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Para Alberto Beltrame, presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, o País está preparado para eventual chegada do vírus. “Já estão identificados os hospitais e, se a doença evoluir, providências serão tomadas.”

Primeiro caso suspeito em Pernambuco

A Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE) confirmou durante coletiva de imprensa, na noite desta terça-feira (25), que uma passageira do voo 6954, da Companhia Azul, que partiu de São Paulo (Guarulhos) e chegou no Recife com sintomas similares aos do novo coronavírus, é o primeiro caso suspeito da doença no Estado.

A mulher de 51 anos, moradora de Caruaru e que não teve o nome revelado, foi retirada da aeronave e examinada por agentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sendo encaminhada para o Hospital Universitário Oswaldo Cruz, uma das unidades de referência popular selecionadas para fazer o atendimento especializado de possíveis casos do coronavírus.

Segundo o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, a paciente foi fazer um curso no Norte da Itália, dia 13 de fevereiro. Apresentou febre nos dias 17 e 18 de fevereiro, e atualmente relata dor de garganta e moleza no corpo.

“Importante dizer para população que o Plano de contingência que foi montado pelo Estado de Pernambuco funcionou a contento, tanto por parte do acionamento da Anvisa, como do suporte que foi dado pelo Samu metropolitano da Prefeitura da Cidade do Recife, como a referência para o Hospital Universitário Oswaldo Cruz, que é referência nesses casos. A paciente foi adequadamente transportada, isolada, está fazendo os exames necessários. A partir da mudança do diagnóstico em relação a pacientes oriundos da Itália, ela se enquadra como caso suspeito”.

Mapa do coronavírus:

Últimas notícias