FRANÇA

Fillon traz ao Brasil 'mensagem de confiança' sobre a Europa

A visita de quatro dias terá três escalas (São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro) e "um programa à altura do potencial que o Brasil representa", informou o Palácio de Matignon, residência oficial do primeiro-ministro

Millena Gomes
Millena Gomes
Publicado em 13/12/2011 às 16:00
Leitura:

PARIS - O primeiro-ministro francês, François Fillon, visitará o Brasil entre quarta-feira e sábado, para trazer "uma mensagem de confiança" sobre a França e a Europa a um dos grandes países emergentes, sobretudo durante o encontro previsto para a quinta-feira com a presidente Dilma Rousseff.

A visita de quatro dias terá três escalas (São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro) e "um programa à altura do potencial que o Brasil representa", informou o Palácio de Matignon, residência oficial do primeiro-ministro. Fillon tentará, também, fazer avançar a parceria estratégica assinada em 2008 com o Brasil, que se prepara para sediar a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

Acompanhado dos ministros da Indústria, dos Esportes e da Cooperação, bem como de uma dezena de parlamentares e cerca de trinta empresários, o chefe de governo francês é aguardado em São Paulo na noite de quarta-feira. O comércio bilateral França-Brasil corresponde atualmente a mais de 7 bilhões de euros. Cerca de 500 empresas francesas - 35 delas integrantes do CAC, o índice de referência da bolsa de Paris - estão presentes no país, que em 2010 teve um crescimento no PIB de 7,5%.

Mas, embora o Brasil tenha registrado um crescimento de 3,5% este ano, o mesmo foi nulo no terceiro trimestre, demonstrando uma forte desaceleração, devido à crise da dívida nos países europeus. Durante o encontro com a presidente Dilma, previsto para a tarde de quinta-feira, François Fillon terá como objetivo principal "trazer uma mensagem de confiança sobre a França e a Europa", informou uma fonte diplomática.

Embora a presidente Dilma já tenha se reunido com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, esta é a primeira visita de um chefe do executivo francês, desde que assumiu o cargo, no fim de 2010. Nas palavras de Fillon, segundo o Palácio Matignon: "mostrar o quanto desejamos explorar todas as potencialidades da parceria estratégica", tendo em segundo plano os esforços renovados para, enfim, exportar os aviões de caça Rafale.

Mas Brasília não deve tomar nenhuma decisão a este respeito nos próximos meses. Atualmente, a França honra, em compensação, contratos no valor de 8,5 bilhões de euros relativos à fabricação de 50 helicópteros e submarinos. No Rio, Fillon visitará, no sábado, a base de submarinos de Itaguaí. Ainda no Rio, participará de uma cerimônia no monumento em memória das 228 pessoas falecidas no acidente com um avião da Air France, que fazia a rota Rio-Paris, em junho de 2009.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias