eua

Novo World Trade Center instala antena e se torna prédio mais alto do hemisfério ocidental

O arranha-céu, conhecido oficialmente como One World Trade Center e popularmente como Freedom Tower, é o eixo central do novo complexo construído no Marco Zero

Da AFP
Da AFP
Publicado em 10/05/2013 às 15:01
Foto: SPENCER PLATT / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
O arranha-céu, conhecido oficialmente como One World Trade Center e popularmente como Freedom Tower, é o eixo central do novo complexo construído no Marco Zero - FOTO: Foto: SPENCER PLATT / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Leitura:

Trabalhadores da construção civil de Nova York comemoraram nesta sexta-feira a instalação da última peça da torre do World Trade Center, fazendo da torre a mais alta do hemisfério ocidental.

Imagens de redes de televisão locais mostraram a enorme antena em espiral de 124 metros sendo instalada lentamente no local, completando a última peça na nova joia do horizonte de Manhattan.

O arranha-céu, conhecido oficialmente como One World Trade Center e popularmente como Freedom Tower, é o eixo central do novo complexo construído no Marco Zero, onde as torres gêmeas do antigo World Trade Center desabaram no dia 11 de setembro de 2001 em atentados que mataram quase 3.000 pessoas.

"Este é realmente um momento simbólico, porque este edifício representa a resistência deste país", afirmou o vice-presidente da Autoridade Portuária, Scott Rechler, à rede NBC de televisão.

"Estas pessoas, os milhares de homens e mulheres que trabalharam incansavelmente aqui, realmente fizeram isso como um tributo para as pessoas que morreram no dia 11 de setembro exatamente neste local", completou.

O edifício de 104 andares mede agora 541 metros (1.776 pés), uma altura simbólica escolhida para lembrar o ano de 1776, quando os Estados Unidos declararam sua independência da Grã-Bretanha. Espera-se que abra as portas em 2014.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias