europa

Antidepressivos para pinguins tristes em centro de vida marinha britânico

Os 12 pinguins de Humboldt, originários das costas do Chile e do Peru, apresentaram sinais de estresse tão severos que os veterinários do centro decidiram colocar comprimidos nos peixes

Da AFP
Da AFP
Publicado em 07/02/2014 às 20:08
Leitura:

O clima do nordeste da Inglaterra está tão ruim desde o início deste ano que foi necessário dar antidepressivos aos pinguins de um centro de vida marinha.

Os 12 pinguins de Humboldt, originários das costas do Chile e do Peru, apresentaram sinais de estresse tão severos que os veterinários do centro decidiram colocar comprimidos nos peixes servidos durante o almoço, indicou nesta sexta-feira (7) à AFP Lyndsey Crawford, diretora do refúgio Scarborough, localizado na costa atlântica de Yorkshire, que há semanas é atingido por fortes tempestades.

Apesar de serem originários de uma região "onde as condições meteorológicas são comparáveis", os pinguins "simplesmente não estão acostumados a esse mau tempo durante um período tão longo", acrescentou um de seus colegas.

Os pinguins manifestam seu nível de estresse mantendo-se no calor, em vez de entrar na água, que é o seu comportamento natural. Os antidepressivos também servem para fortalecer seu sistema imunológico frágil.

"Esperamos que eles percebam que não estão correndo qualquer risco. Eles não têm consciência do tratamento. Trata-se de cápsulas minúsculas. Seu sabor não é desagradável", indicou Lyndsey Crawford.

Os pinguins de Humboldt estão ameaçados de extinção em seu habitat natural no Chile e no Peru, devido a vários fatores, como o aquecimento global, a pesca predatória das espécies das quais se alimentam, a proliferação de ratos que comem seus ovos e a pesca com rede de arasto que leva muitos desses animais junto com os peixes.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias