Oriente Médio

Ataques contra escolas sírias mataram 160 crianças em 2014

Segundo a Unicef, entre 1,3 e 1,6 milhão de crianças sírias deixaram de ir à escola por causa da insegurança no país

Da AFP
Da AFP
Publicado em 06/01/2015 às 11:43
Foto: ALI AL-SAADI / AFP
Segundo a Unicef, entre 1,3 e 1,6 milhão de crianças sírias deixaram de ir à escola por causa da insegurança no país - FOTO: Foto: ALI AL-SAADI / AFP
Leitura:

Atualizada às 12h38

Ao menos 160 crianças morreram em ataques contra escolas sírias em 2014 e cerca de 1,6 milhão de crianças deixaram de ir à aula em função do conflito armado, denunciou a Unicef em Genebra.

"Entre janeiro e dezembro, houve ao menos 68 ataques contra escolas em que 160 crianças foram mortas e 343 feridas", declarou o porta-voz da Unicef, Christophe Boulierac.

Ele enfatizou que estes números podem estar defasados em função da dificuldade de acesso às informações.

Segundo a Unicef, entre 2,1 e 2,4 milhões de crianças sírias deixaram de ir à escola por causa da insegurança no país.

"As escolas devem continuar sendo zonas de paz e confiança para as crianças", afirmou a Unicef.

A organização da ONU afirma estar especialmente reocupada com as zonas sob controle total ou parcial do grupo Estado Islâmico (EI), principalmente as províncias de Raqa, Deir Ezor e parte de Aleppo.

"Cerca de 670.000 crianças estão muito afetadas nestas zonas", afirma a agência.

As violências do conflito, que começou em março de 2011, já deixaram mais de 200.000 mortos e 1,7 milhão de refugiados.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias