Aviação

Avião solar deixa Suíça antes de viagem de volta ao mundo

Aeronave é a sucessora do Solar Impulse, um avião pioneiro que contabilizou um voo de 26 horas em 2010

Da AFP
Da AFP
Publicado em 06/01/2015 às 12:10
Foto: FABRICE COFFRINI / AFP
Aeronave é a sucessora do Solar Impulse, um avião pioneiro que contabilizou um voo de 26 horas em 2010 - FOTO: Foto: FABRICE COFFRINI / AFP
Leitura:

O Solar Impulse 2, um avião movido a energia solar, deixou a Suíça rumo a Abu Dhabi, a partir de onde tentará realizar uma volta ao mundo revolucionária. 

A transportadora que leva o Solar Impulse 2 parte nesta terça-feira em direção a Abu Dhabi, de onde o avião de longas asas iniciará sua viagem em março com o objetivo de completá-la até julho.

Esta aeronave é a sucessora do Solar Impulse, um avião pioneiro que contabilizou um voo de 26 horas em 2010, comprovando sua habilidade de armazenar energia suficiente em baterias de lítio durante o dia para continuar voando à noite.

O precursor foi colocado à prova na Europa, atravessou o Mediterrâneo para chegar ao Marrocos e cruzou os Estados Unidos em 2013 sem usar uma gota de combustível fóssil.

Os idealizadores do projeto são Bertrand Piccard, o herdeiro de uma dinastia de cientistas-aventureiros suíços, e Andre Borschberg, ex-piloto da força aérea suíça.

"Estou emocionado porque este é realmente um momento mágico, um momento importante", disse Borschberg. "Nós estamos trabalhando nisso há 12 anos", acrescentou. 

Piccard, que entrou para a história em 1999 ao se tornar a primeira pessoa a voar ao redor do mundo em um balão de ar quente, disse que o principal objetivo é provar que a energia limpa pode "alcançar coisas incríveis". 

"O que precisamos fazer agora é convencer o mundo político e industrial que esta é a direção que precisamos tomar", disse Piccard. 

O objetivo com o Solar Impulse 2 é voar sem parar por mais de 120 horas - cinco dias e cinco noites - permitindo à aeronave cruzar as pernas do Atlântico e do Pacífico de sua missão.

Construído com fibra de carbono, o avião de 2,3 toneladas tem quatro motores elétricos com 17,5 cavalos de potência alimentados por 17.248 células solares em sua fuselagem e uma envergadura de 72 metros - tão longa quanto a de um Airbus A380. 

A operação em março circulará o globo na direção leste, fazendo várias paradas no caminho. 

A viagem começará no Golfo para se beneficiar de condições de nuvens baixas do Oriente Médio. 

O avião passará pelo Mar da Arábia em direção à Índia, Mianmar e China, depois atravessará o Oceano Pacífico, o sul da Europa e finalmente o norte da África, antes de retornar ao seu ponto de partida.

A velocidade à noite será limitada a 46 km por hora para evitar que as baterias acabem muito rapidamente.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias