Conflitos

EUA investiga eventuais vítimas civis de ataques ao Estado Islâmico

Informações sírias afirmaram que desde setembro os ataques aéreos da coalizão já mataram 32 civis

AFP
AFP
Publicado em 06/01/2015 às 22:03
ZEIN AL-RIFAI / AFP
Informações sírias afirmaram que desde setembro os ataques aéreos da coalizão já mataram 32 civis - FOTO: ZEIN AL-RIFAI / AFP
Leitura:

O Exército americano admitiu nesta terça-feira, pela primeira vez, que investiga a possibilidade de vítimas civis nos ataques aéreos realizados pela coalizão internacional contra o grupo Estado Islâmico (EI) no Iraque e na Síria. 


As investigações são realizadas pelo Centcom, o comando americano para a região, explicou nesta terça-feira o porta-voz do Pentágono, contra-almirante John Kirby.

"O Centcom investiga várias denúncias de vítimas civis que considera críveis".

Esta é a primeira vez que as forças armadas americanas reconhecem a existência de tais investigações, mas destacam que não há confirmação da morte de qualquer civil nos ataques aéreos da coalizão contra bases do Estado Islâmico.

Segundo fontes militares americanas, o Exército iniciou um total de 18 investigações sobre possíveis vítimas civis no Iraque e na Síria. Deste total, cinco seguem em curso e 13 foram provisoriamente abandonadas diante da ausência de elementos.

O risco de se atingir a população civil "é algo que levamos muito a sério". "Nos preocupamos em  minimizar os riscos para os civis em cada operação que lançamos, qualquer que seja", destacou Kirby.

No final de outubro passado, o diretor do Observatório Sírio dos Direitos Humanos, Rami Abdel Rahmane, afirmou que desde 23 de setembro os ataques aéreos da coalizão já mataram 32 civis, incluindo seis crianças e duas mulheres.  

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias