Denúncia

Promotor que assumiu lugar de Nisman denuncia Cristina Kirchner

Antes mesmo de a denúncia chegar à Justiça, o governo reagiu e desqualificou a acusação

Da Folhapress
Da Folhapress
Publicado em 13/02/2015 às 15:42
Foto: Juan Mabromata / AFP
Antes mesmo de a denúncia chegar à Justiça, o governo reagiu e desqualificou a acusação - FOTO: Foto: Juan Mabromata / AFP
Leitura:

O promotor que assumiu o lugar de Alberto Nisman, encontrado morto há quase um mês em seu apartamento, denunciou formalmente à Justiça a presidente Cristina Kirchner, o chanceler Héctor Timerman e seus aliados.

Gerardo Pollicita encaminhou o pedido nesta sexta (13), afirmando que apresenta as mesmas provas levantadas pelo antecessor Alberto Nisman.

Antes mesmo de a denúncia chegar à Justiça, o governo reagiu. No início da manhã, o chefe de gabinete da Casa Rosada, Jorge Capitanich, acusou o judiciário de "golpismo" contra a presidente.

O ministro voltou a desqualificar a denúncia de Nisman, afirmando que a Argentina não teria se beneficiado com um suposto acordo com o Irã.

Nisman acusava a presidente e aliados de conspirarem para tentar proteger supostos terroristas iranianos, responsáveis pelo atentado à entidade judaica Amia, em 1994. Em troca, a Argentina poderia exportar grãos e importar petróleo do país.

Além dos integrantes do governo, Pollicita também denunciou o ex-sindicalista Luis D'Elia e o deputado kirchnerista André Larroque, que seriam interlocutores informais do governo argentino com os iranianos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias