abrigo

Netanyahu convoca judeus a retornarem a Israel para fugir da ameaça terrorista

Netanyahu expressou solidariedade à Dinamarca, onde duas pessoas morreram por causa de ataques considerados terroristas pelas autoridades locais

Agência Brasil
Agência Brasil
Publicado em 15/02/2015 às 15:55
MENAHEM KAHANA / AFP
Netanyahu expressou solidariedade à Dinamarca, onde duas pessoas morreram por causa de ataques considerados terroristas pelas autoridades locais - FOTO: MENAHEM KAHANA / AFP
Leitura:

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, voltou a dizer hoje (15) que o país está de braços abertos para os judeus que quiserem fugir da ameaça de ataques terroristas. Ele já tinha feito o convite depois que um supermercado judaico foi palco de ataque terrorista em Paris, no dia 9 de janeiro, resultando na morte de quatro reféns.

O primeiro-ministro informou que o governo israelense preparou um plano que prevê investimentos de US$ 46 milhões (cerca de R$ 129 milhões) na absorção de ondas de imigração em massa de vários países europeus. Entre eles, França, Bélgica e Ucrânia. “É claro que os judeus merecem proteção em todos os países, mas quero dizer para os judeus, para nossos irmãos e irmãs: Israel é sua casa. Eu gostaria de dizer a todos os judeus, onde quer que eles estejam: Israel é a casa de cada judeu”.

Netanyahu expressou solidariedade à Dinamarca, onde duas pessoas morreram por causa de ataques considerados terroristas pelas autoridades locais. “Envio nossas condolências ao povo da Dinamarca e à comunidade judaica na Dinamarca. Mais uma vez, judeus foram mortos em solo europeu pelo fato de serem judeus, e essa onda de ataques deve continuar”, disse o primeiro-ministro, em Jerusalém.

Nas primeiras horas da madrugada de hoje disparos feitos nas proximidades da principal sinagoga de Copenhague, em Krystalgade, resultaram na morte do segurança Dan Uzan, de 37 anos. Dois policiais ficaram feridos, mas não correm risco de morte.

Horas antes, por volta das 15h30 (12h30 no Brasil) de sábado, um homem armado invadiu um café na região de Osterbro, no noroeste da capital dinamarquesa, e disparou contra os participantes de um evento sobre liberdade de expressão. O diretor de cinema Finn Norgaard, de 55 anos, morreu na hora. Três policiais ficaram feridos.

O suposto autor dos ataques foi morto por volta das 5h de hoje, após disparar contra a polícia no distrito de Norrebro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias