Terrorismo

Suspeitos por participação no atentado terrorista na Dinamarca são indiciados

Os dois homens detidos são considerados cúmplices do suposto autor dos ataques que deixaram dois mortos e cinco feridos em Copenhague

AFP
AFP
Publicado em 16/02/2015 às 8:57
Foto: Gisele Garcia/EBC
Os dois homens detidos são considerados cúmplices do suposto autor dos ataques que deixaram dois mortos e cinco feridos em Copenhague - FOTO: Foto: Gisele Garcia/EBC
Leitura:

Dois homens detidos pela polícia foram indiciados nesta segunda-feira por cumplicidade com o suposto autor dos ataques que deixaram dois mortos e cinco feridos em Copenhague durante o fim de semana, segundo comunicado da polícia dinamarquesa.

"Não foram indiciados por terrorismo e sim por cumplicidade, suspeitos de terem ajudado o autor dos ataques a fazer desaparecer uma arma e conseguir um esconderijo", afirmou Michael Juul Eriksen, advogado de um dos suspeitos.

A identidade das duas pessoas está protegida por segredo de instrução. Segundo o jornal Ekstra Bladet, as duas pessoas são estrangeiras. 

A polícia dinamarquesa acredita que o suposto autor dos ataques contra um centro cultural e uma sinagoga em Copenhague teria se inspirado nos recentes atentados jihadistas ocorridos em Paris.

Os investigadores não quiseram dar informações sobre a identidade deste homem que foi abatido pela polícia, e afirmaram apenas que era originário de Copenhague e que os primeiros elementos, incluindo seus antecedentes, dão a entender que tinha simpatia pela ideologia de organizações como o Estado Islâmico.

Confirmaram que o indivíduo era conhecido da inteligência dinamarquesa, mas afirmou não saber se chegou a viajar para a Síria ou o Iraque.

A polícia também informou ter realizado uma vasta operação em um cibercafé e em outros imóveis do bairro de Nørrebro, onde o atirador foi morto por volta das 02H00 (de Brasília) de domingo.

O homem, que supostamente atuou sozinho, abriu fogo contra os policiais ao ser interpelado.

O indivíduo em questão é o suposto autor dos dois ataques registrados em Copenhague, um contra um um centro cultural onde era realizado um debate sobre Islã e liberdade de expressão e outro contra uma sinagoga, nos quais morreram duas pessoas e cinco ficaram feridas.

A foto, aparentemente capturada de imagens de vigilância, permitiu a localização do suspeito e mostra um homem usando uma jaqueta escura e um capuz vinho. Ele foi descrito como um homem entre 25 e 30 anos, alto e de porte atlético.

Um cidadão de 55 anos que assistia o debate no centro cultural foi morto no ataque de sábado e um jovem judeu perdeu a vida no início de domingo no lado de fora da sinagoga de Krystalgade, a mais importante da cidade. Cinco policiais ficaram feridos nos ataques.

O atentado contra o centro cultural aconteceu rápido e foi violento. O homem armado com uma pistola metralhadora disparou contra os participantes do debate "Arte, blasfêmia e liberdade". 

O esquema de segurança foi reforçado pela presença de Lars Vilks, o cartunista sueco conhecido por suas controvertidas charges do profeta Maomé e que participava no evento. Mas a presença policial não impediu que o homem disparasse contra as dezenas de pessoas presentes. 

O atirador fugiu rapidamente a bordo de Volkswagen Polo. Dois quilômetros depois, o agressor abandonou o carro e desapareceu. Mas ele foi registrado pelas câmeras de segurança e, a partir disso, uma foto foi postada na internet.


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias