Pesca

Pescadores australianos pegam 2º maior peixe do mundo

Captura acidental forneceu à comunidade científica uma oportunidade única de estudo

Da AFP
Da AFP
Publicado em 24/06/2015 às 19:58
Foto: HO / Museum Victoria / AFP
Captura acidental forneceu à comunidade científica uma oportunidade única de estudo - FOTO: Foto: HO / Museum Victoria / AFP
Leitura:

Pescadores da Austrália capturaram acidentalmente o segundo maior peixe do mundo, fornecendo à comunidade científica uma oportunidade única de estudo.

O tubarão peregrino de 12 metros causou frisson no país, onde pouco se sabe sobre a espécie - que só perde em tamanho para o tubarão baleia - e não é comumente capturado em águas do sul. Um tubarão peregrino foi capturado pela última vez no hemisfério sul na década de 1930.

O bicho é o terceiro da espécie visto na região em 160 anos.O exemplar foi doado ao Museu Victoria da cidade de Melbourne. Também conhecido como tubarão elefante, o peregrino pode chegar a até 12 metros de comprimento. A dieta do peixe é baseada em plâncton e o peixe só perde em tamanho para o tubarão baleia.

Os pesquisadores planejam usar o corpo do animal em estudos genéticos, alimentar e avaliar seu histórico de vida. "Estas descobertas raras podem fornecer muitas das peças que faltam e que ajudam a conservação mais amplo e pesquisa biológica", afirmou o curador-sênior do museu da ictiologia, Martin Gomon.

Eles são migratórios e estão distribuídos por vários lugares, mas somente é visto regularmente em alguns locais costeiros favorecidos tais como a Cornualha, na Inglaterra, onde podem mergulhar profundamente nas profundezas do mar em busca de alimento.

O tubarão foi acidentalmente apanhado por uma traineira de pesca no estreito de Bass, no sudeste do continente australiano.

A gerente-sênior da coleção de zoologia de vertebrados do Museu Victoria, Dianne Bray, disse que tubarões-frade tinham sido avistados ao longo dos anos fora do estado australiano de Victoria, mas nunca em grande número.

Bray afirmou que desde a descoberta tem sido recebido uma enxurrada de pedidos de pesquisadores que querem amostras de tecidos do animal - já que é raro poder estudar um animal inteiro. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias