Espionagem

Alemanha: 'grampo' da NSA foi muito além do celular de Merkel

Segundo jornal, a agência americana se interessou pelas atividades dos ministérios das Finanças, Economia e Agricultura do país europeu

Da AFP
Da AFP
Publicado em 01/07/2015 às 20:50
Foto: ODD ANDERSEN / AFP
Segundo jornal, a agência americana se interessou pelas atividades dos ministérios das Finanças, Economia e Agricultura do país europeu - FOTO: Foto: ODD ANDERSEN / AFP
Leitura:

A espionagem praticada pela agência de segurança nacional (NSA) dos Estados Unidos na Alemanha foi muito além do "grampo" contra o celular da chanceler Angela Merkel, e envolveu vários ministros, informa nesta quarta-feira (1º) o jornal Suddeutsche Zeitung, que cita documentos divulgados pelo Wikileaks.

Segundo o jornal de Munique, que relaciona diversos números "grampeados" pela NSA nos anos  2010-2012, a agência americana se interessou particularmente pelas atividades dos ministérios das Finanças, Economia e Agricultura.

"O atual ministro da Economia e vice-chanceler, Sigmar Gabriel, que na época estava na oposição, suspeita que foi e ainda está sendo alvo de escuta" da NSA, revela o jornal.

Na lista de "grampos" está o número do antigo ministro das Finanças Oskar Lafontaine, que abandonou o cargo em 1999, mas o telefone "continua ativo" na secretaria do ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble", destaca o Süddeutsche Zeitung.

Os alemães, muito sensíveis sobre sua privacidade devido à experiência com as ditaduras nazista e comunista, ficaram chocados com as revelações do ex-consultor de inteligência da NSA Edward Snowden sobre o vasto sistema de vigilância eletrônica praticado pelos Estados Unidos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias