imigração

Dez migrantes morrem em naufrágio no Mar Egeu

Os migrantes zarparam da província turca de Çanakkale e, aparentemente, tentavam chegar à ilha grega de Lesbos

Da AFP
Da AFP
Publicado em 30/01/2016 às 9:10
Foto: ATTILA KISBENEDEK/AFP
Os migrantes zarparam da província turca de Çanakkale e, aparentemente, tentavam chegar à ilha grega de Lesbos - FOTO: Foto: ATTILA KISBENEDEK/AFP
Leitura:

Dez migrantes, incluindo cinco crianças, morreram neste sábado (30) em um novo naufrágio no mar Egeu após o naufrágio do barco em que estavam na tentativa de chegar à costa grega, anunciou a guarda costeira turca.

Os migrantes zarparam da província turca de Çanakkale e, aparentemente, tentavam chegar à ilha grega de Lesbos.

A guarda costeira turca resgatou 43 migrantes, mas um número desconhecido de pessoas a bordo estão desaparecidas.

"Estamos muito tristes, pelo menos 20 dos nossos amigos estão desaparecidos", declarou, entre soluços, um dos resgatados.

Na quinta-feira, 24 migrantes, dez deles crianças, afogaram-se em um outro naufrágio ao largo da costa da ilha grega de Samos.

Entre os passageiros do barco que afundou neste sábado havia sírios e afegãos, segundo um fotógrafo da AFP, que relata que as operações de resgate estão em andamento.

Este novo drama se soma aos sucessivos naufrágios dos últimos dias no Mar Egeu. Quarta-feira, sete pessoas morreram, incluindo duas crianças, ao largo da ilha de Kos, e 45 migrantes morreram na semana passada em três naufrágios na mesma zona.

Apesar das condições climáticas de inverno e as restrições impostas por alguns países europeus, que restabeleceram os controles nas fronteiras, as chegadas de refugiados continuam a ocorrer em janeiro.

No total, as chegadas de migrantes pelo Mediterrâneo na Europa totalizam 46.240 desde o início de janeiro, 44.000 dos quais passaram pela Grécia e 2.200 pela Itália, de acordo com o Alto Comissariado para os Refugiados da ONU (Acnur).

A grande maioria (84%) são refugiados, cidadãos de países localizados em zonas de guerra. Cerca de 200 pessoas morreram ou estão desaparecidas este ano, de acordo com o Acnur.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias