casos

Crianças relatam o abuso sexual por soldados da ONU

'Trocava uma garrafa de água e um pacote de biscoitos por sexo oral', disse uma menina

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 07/03/2016 às 16:50
Foto: AFP
'Trocava uma garrafa de água e um pacote de biscoitos por sexo oral', disse uma menina - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

A ONU registrou 69 casos de abusos sexuais que teriam sido cometidos por soldados em 2015 e que estão concentrados principalmente na República Centro-africana e na República Democrática do Congo. Crianças e adolescentes eram as principais vítimas do abuso.

Entre os depoimentos, o que mais choca é o de uma menina de sete anos de idade que conversou com membros da Comissão de Direitos Humanos da organização. "Trocava uma garrafa de água e um pacote de biscoitos por sexo oral", disse a criança.

Segundo um relatório anual do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, trata-se de um "claro aumento" comparado com 2014 (52 casos) e também comparado com 2013, quando 66 casos foram registrados. 

Pelo menos vinte crianças foram abusadas sexualmente por soldados das forças de manutenção da paz, segundo o relatório, mas esse número pode ser maior, pois nem sempre foi determinada a idade das vítimas.

O relatório recomenda a criação de tribunais militares no terreno para julgar os responsáveis e exigir que os países que enviam tropas de paz para falam testes de DNA de seus soldados.

"Este aumento do número de denúncias é profundamente preocupante", disse o relatório que será formalmente lançado na sexta-feira, ao qual a AFP teve acesso. 

Entre os 69 casos de abuso ou exploração sexual, 38 foram registrados em duas das 16 missões de paz da ONU em todo o mundo: 22 na República Centro-africana e 16 na República Democrática do Congo.

Na República Centro-Africana, uma adolescente de 14 anos relatou aos investigadores da organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch o que aconteceu com ela. "Eu passava pela base da Minusca (a missão da ONU no país) no aeroporto quando me atacaram. Os soldados estavam armados. Um segurou meus braços enquanto outro arrancou minha roupa. Jogaram-me em um pasto, e, enquanto um me segurava, outro me estuprou", disse.

Uma jovem de 18 anos também relatou os abusos sofridos na República Democrática do Congo."Três homens armados se jogaram em cima de mim e disseram que me matariam se eu os denunciasse. Todos eles me estupraram", contou.

Ao todo, soldados ou policiais de 21 países são acusados, com o maior número de réus da República Democrática do Congo (7 acusados), seguido por Marrocos e África do Sul (4 cada).

Camarões, República do Congo, Ruanda e Tanzânia contam com três acusados ??cada um e Benin, Burkina Faso, Burundi, Canadá e Gabão têm dois acusados cada.

Outros nove países contam com um policial ou soldado acusado de exploração ou abuso sexual: Alemanha, Gana, Madagáscar, Moldávia, Níger, Nigéria, Senegal, Eslováquia e Togo.

É a primeira vez que a ONU lista dessa maneira todos os países de origem dos membros das forças de paz suspeitos dos crimes. 

A reputação das forças de paz está abalada há meses por uma longa série de escândalos de estupros e outros abusos sexuais, sobretudo na República Centro-africana, para onde a ONU enviou 12.000 soldados em 2014.

Últimas notícias