DROGA

Mais de 1,3 tonelada de cocaína da Colômbia são apreendidas no Oceano Pacífico

Em 2014, o país exportou aproximadamente 442 toneladas de cocaína, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU)

Da ABr
Da ABr
Publicado em 29/03/2016 às 8:54
Foto: AFP
Em 2014, o país exportou aproximadamente 442 toneladas de cocaína, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

Mais de 1,3 toneladas de cocaína procedentes da Colômbia foram apreendidas em águas internacionais do Oceano Pacífico, perto das fronteiras marítimas do Equador e de El Salvador, anunciou a polícia colombiana.

A apreensão da mercadoria, “propriedade de uma organização criminosa formada por colombianos e equatorianos e baseada no Pacífico”, foi resultado de um esforço conjunto da polícia e dos militares da Colômbia e do Equador.

Essas operações foram apoiadas pela agência antidroga dos Estados Unidos (DEA) e por uma força de combate ao narcotráfico com sede na Flórida (Sudeste dos Estados Unidos).

Um barco rápido foi interceptado a 200 milhas náuticas de El Salvador com uma carga de 750 quilos de cloridrato de cocaína, informou a polícia judiciária colombiana, acrescentando que em uma primeira operação, dois equatorianos e um colombiano foram detidos.

Numa segunda ofensiva das autoridades no Pacífico, na fronteira com o Equador, foram apreendidos 613 quilogramas de cocaína e detidas cinco pessoas de nacionalidades não reveladas.

Na semana passada, a Colômbia e o Equador anunciaram que planejam criar uma força militar conjunta para reforçar a segurança na fronteira comum, que se estende por 700 quilômetros, onde operam cartéis de droga e grupos armados ilegais.

A Colômbia é o primeiro produtor mundial de folha de coca, que compõe a base da cocaína.

Em 2014, o país exportou aproximadamente 442 toneladas de cocaína, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias