África

Cento e cinco toneladas de marfim são incineradas no Quênia e Gabão

A cremação foi feita para combater o tráfico do material na África

Lorena Barros
Lorena Barros
Publicado em 30/04/2016 às 12:13
Carl de Souza / AFP
A cremação foi feita para combater o tráfico do material na África - Carl de Souza / AFP
Leitura:

Os presidentes do Quênia, Uhuru Kenyatta, e do Gabão, Ali Bongo Ondimba, incineraram neste sábado (30) 105 toneladas de marfim queniano no Parque Nacional de Nairobi, informou a agência France Presse. É a maior quantidade de “ouro branco” incinerada até hoje.

“Ninguém, repito, ninguém, irá comercializar marfim, se esse comércio for sinônimo de morte dos nossos elefantes e morte para o nosso patrimônio natural”, disse Uhuru Kenyatta na cerimónia.

A cremação pública visa a combater o tráfico de marfim, que dizima os elefantes na África. O chefe de Estado queniano pediu a interdição total do comércio de marfim.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias