DIPLOMACIA

EUA espionaram Palácio do Eliseu em 2012, diz ex-chefe de Inteligência

A informação foi publicada neste domingo pelo jornal Le Monde segundo declarações de um ex-responsável dos serviços de Inteligência da França

AFP
AFP
Publicado em 04/09/2016 às 11:54
Getting Images
A informação foi publicada neste domingo pelo jornal Le Monde segundo declarações de um ex-responsável dos serviços de Inteligência da França - FOTO: Getting Images
Leitura:

PARIS - Os Estados Unidos espionaram a presidência francesa em 2012, segundo declarações de um ex-responsável dos serviços de Inteligência da França citadas neste domingo pelo jornal Le Monde.

Até agora só existiam suspeitas sobre o envolvimento dos Estados Unidos na invasão de computadores de colaboradores do ex-presidente Nicolas Sarkozy durante os dois turnos da eleição presidencial em maio de 2012, afirma o jornal.

“Descobrimos um ‘malware’ - um software malicioso - que tinha a mesma assinatura de outro que identificamos em um ataque contra a Comunidade Europeia em 2010”, disse Bernard Barbier, ex-diretor técnico da Direção Geral de Segurança Exterior (DGSE) da França, durante uma conferência em junho. 

ESPIONAGEM

“Apenas os Estados Unidos ou a Rússia poderiam ter realizado esta primeira operação. Em 2012 tínhamos mais meios para trabalhar nos metadados. Conclui que só podiam vir dos Estados Unidos”, acrescentou Barbier.

Durante esta conferência, citada pelo Le Monde, Barbier explica que recebeu "a ordem do sucessor de Sarkozy (François Hollande) de ir aos Estados Unidos repreendê-los. Fui em 12 de abril de 2013. Foi um grande momento em minha carreira".

“Estávamos certos de que foram eles. No fim da reunião, Keith Alexander (ex-chefe da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos) não estava feliz”, prosseguiu.

“Quando estávamos no ônibus, me disse que estava decepcionado porque achou que jamais os detectaríamos. E acrescentou: ‘são bons’”, disse Barbier, diretor-técnico da DGSE entre 2006 e 2014.

Segundo documentos obtidos pelo WikiLeaks e divulgados em 2015 pela imprensa francesa, os três últimos presidentes franceses, Jacques Chirac, Nicolas Sarkozy e François Hollande, foram espionados pelos Estados Unidos entre 2006 e 2012.


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias