EUROPA

Itália começa a avaliar estragos após dois terremotos atingirem o país

O primeiro terremoto, de 5,4 graus, ocorreu às 19h10 (hora local) de quarta-feira (26). O segundo terremoto, com 6,1 graus, ocorreu duas horas depois

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 27/10/2016 às 9:19
Foto: TIZIANA FABI / AFP
O primeiro terremoto, de 5,4 graus, ocorreu às 19h10 (hora local) de quarta-feira (26). O segundo terremoto, com 6,1 graus, ocorreu duas horas depois - FOTO: Foto: TIZIANA FABI / AFP
Leitura:

Autoridades na região central da Itália começaram, nesta quinta-feira, a avaliar os estragos causados por dois fortes terremotos que atingiram o local, o mesmo que foi alvejado por um outro grande tremor em agosto que deixou diversos mortos.

Centenas de pessoas passaram a noite em seus carros após os dois terremotos que ocorreram no fim da tarde de quarta-feira, que levou as pessoas para as ruas em meio a uma chuva. Uma série de pequenos tremores durante a noite, incluindo dois com mais de 4 graus de magnitude, deixaram os italianos ainda mais nervosos. 

Na manhã após os terremotos ainda não havia registro de feridos ou mortes. O chefe da agência de proteção civil da Itália, Fabrizio Curcio, disse que parecia que a situação "não é tão catastrófica" como poderia ter sido. Entretanto, um homem de 73 anos morreu de ataque do coração, possivelmente causado pelos terremotos, informaram autoridades locais. 

A presidente da região de Umbria, Catiuscia Marini, disse à rede de televisão RAI que as autoridades estão trabalhando para fornecer abrigos temporários, tendo em mente que com a aproximação do inverno e as temperaturas caindo, as pessoas não podem ser abrigadas em tendas externas, como ocorreu após o terremoto em agosto. 

O primeiro terremoto, de 5,4 graus, ocorreu às 19h10 (hora local) de quarta-feira. O segundo terremoto, entretanto, foi oito vezes mais forte, com 6,1 graus, e ocorreu duas horas depois, de acordo com a Agência Geológica dos Estados Unidos. As autoridades afirmaram que o fato de as pessoas já terem saído de suas casas quando o segundo terremoto ocorreu provavelmente salvou vidas. Fonte: Dow Jones Newswires.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias