ONU

Mulheres e meninas são as principais vítimas de tráfico humano

Relatório da Organização das Nações Unidas revela que quase um terço das vítimas de tráfico humano são crianças

Foto: Agência Brasil
Relatório da Organização das Nações Unidas revela que quase um terço das vítimas de tráfico humano são crianças - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

No Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas, celebrado nesta segunda-feira (30), a Organização das Nações Unidas (ONU) apela para que os países fortaleçam as formas de combater esse crime contra seres humanos.

Relatório da ONU revela que quase um terço das vítimas desse tipo de crime são crianças. Atualmente, 71% das pessoas traficadas são meninas e mulheres.

No Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas o tema lançado é “Respondendo ao tráfico de crianças e jovens”. Relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) calcula que o mundo tenha pelo menos 21 milhões de vítimas de trabalho forçado. O número exato é desconhecido.

Em comunicado, a relatora especial da ONU sobre tráfico de pessoas, a italiana Maria Grazia Giammarinaro, disse que muitas pessoas são enganadas por criminosos e traficantes incluindo imigrantes, refugiados e pedidos de asilo, em busca de proteção ou de uma vida melhor.

Ameaça

Para a relatora, o clima político atual contra a imigração trata as pessoas como ameaça, quando elas podem contribuir para a prosperidade dos países onde vivem e trabalham.

Maria Grazia ressaltou que os países têm a obrigação de evitar o tráfico, classificado como violação dos direitos humanos. Ela citou o Pacto Global para Migração, que estabelece que os países devem ter medidas individuais e indicadores de identificação dos migrantes propensos a tráfico e exploração, incluindo os mecanismos internacionais de proteção.

O pacto deve ser adotado durante encontro internacional no Marrocos, em dezembro deste ano.

O comunicado ressalta que, em todo mundo, a sociedade e organizações civis têm desempenhado um papel importante para salvar vidas e proteger as pessoas do tráfico durante operações de busca e resgate.

A relatora finaliza o comunicado dizendo que, mesmo em tempo difíceis, a inclusão é a resposta para salvar as pessoas. O Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas é liderado pelo Escritório da ONU sobre Drogas e Crime (Unodc).

Secretário-geral

Ao pedir que os países se unam contra o tráfico humano, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o português António Guterrez, ressaltou que os traficantes se beneficiam da esperança e do desespero principalmente de mulheres e meninas. O apelo ocorre no Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas, celebrado nesta segunda-feira (30).

“[Os traficantes] se aproveitam dos vulneráveis e lhes roubam os direitos fundamentais”, afirmou Guterrez, lembrando que os traficantes de pessoas operam impunemente e que os crimes cometidos por eles não recebem a atenção suficiente. É preciso mudar, disse.

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), 21 milhões de pessoas são vítimas de trabalho forçado no mundo. O cálculo inclui vítimas de tráfico humano que sofrem, inclusive, exploração no trabalho e sexual.

Dados

Em 2010, a Assembleia Geral da ONU aprovou o Plano de Ação Mundial para Combater o Tráfico de Pessoas e apelou aos governos para que adotem medidas coordenadas e coerentes para combater o problema.

Três anos mais tarde, a ONU definiu 30 de julho como Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas. O objetivo é buscar consciência sobre a situação das vítimas do tráfico de pessoas e desprotegidas.

Em setembro de 2015, foi adotada a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável e, entre os 17 objetivos, há metas para acabar com o tráfico de pessoas e qualquer forma de violência e exploração, especialmente contra crianças e mulheres.

Últimas notícias