Ataque

Talibãs capturam base militar no Afeganistão e matam 14 soldados

O ataque é similar a uma ação dos talibãs na quinta-feira passada (9) contra a cidade de Ghazni, leste do país, e que segue em curso nesta terça-feira (14).

AFP
AFP
Publicado em 14/08/2018 às 6:56
Mohammad Anwar Danishyar / AFP
O ataque é similar a uma ação dos talibãs na quinta-feira passada (9) contra a cidade de Ghazni, leste do país, e que segue em curso nesta terça-feira (14). - FOTO: Mohammad Anwar Danishyar / AFP
Leitura:

Os insurgentes talibãs assumiram o controle de uma base militar na região norte do Afeganistão após combates em que mataram 14 soldados e fizeram dezenas de prisioneiros.

Os talibãs se apoderaram de uma base localizada no distrito de Ghormach, na instável província de Faryab, afirmou Mohamad Hanif Rezaee, porta-voz do exército para o norte do país. Ao menos 100 militares estavam na base no início do ataque, no domingo.

"É uma tragédia que a base tenha caído em mãos inimigas. Vários soldados morreram, outros foram capturados e alguns conseguiram fugir para as colinas próximas", disse Mohamad Hanif Rezaee à AFP.

Pelo menos 14 soldados morreram e 40 foram capturados, informou um representante local, Hashim Otaq. O ataque é similar a uma ação dos talibãs na quinta-feira passada (9) contra a cidade de Ghazni, leste do país, e que segue em curso nesta terça-feira (14).

Os militares da base solicitaram reforços e apoio aéreo por vários dias, mas não foram ouvidos, indicou Thair Rehmani, presidente do Conselho Provincial de Faryab. "As autoridades estavam muito ocupadas com Ghazni", completou.

Ao mesmo tempo, a preocupação com os civis presos batalha entre as forças afegãs e os talibãs em Ghazni aumenta, no quinto dia de combates. As autoridades afirmam que Ghazni, capital provincial situada a duas horas de carro de Cabul, permanece sob controle das forças afegãs, que executam operações para expulsar os rebeldes.

Mas os moradores afirmaram à AFP que os talibãs continuam na cidade, onde provocam incêndios e atacam os civis. A ONU indicou que mais de 100 civis morreram na batalha desde quinta-feira à noite, mas o número não pôde ser confirmado.

Além dos tiros dos talibãs, os moradores correm o risco de serem vitimados pelos bombardeios aéreos dirigidos pelas forças americanas em apoio às tropas afegãs.

Reconquista

Um representante de Ghazni, Shah Gul Rezaye, afirmou nesta terça-feira que algumas áreas da cidade foram reconquistadas.  "Em outras, os talibãs posicionaram os seus combatentes em edifícios altos para atirar contra as forças de segurança", disse.

As redes de telecomunicação permaneciam desconectadas em sua maioria, o que dificulta a verificação das informações. "Ghazni é uma cidade fantasma atualmente. Os talibãs vão de porta em porta para encontrar os funcionários do governo e suas famílias e matá-los", disse Sayed Zia, morador da cidade. 

Últimas notícias