Acordos

Macron, sobre acordo de Paris: 'compete a Bolsonaro esclarecer as coisas'

O presidente da França disse que o bloco europeu não negocia com países que queiram deixar o acordo climático de Paris

Bianca Sousa
Bianca Sousa
Publicado em 01/12/2018 às 18:40
Foto: Fabrice Coffrini/AFP
O presidente da França disse que o bloco europeu não negocia com países que queiram deixar o acordo climático de Paris - FOTO: Foto: Fabrice Coffrini/AFP
Leitura:

O presidente da França, Emmanuel Macron, reiterou a jornalistas neste sábado (1º) que o futuro das negociações entre o Mercosul e a União Europeia depende do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Ele disse que o bloco europeu não negocia com países que queiram deixar o acordo climático de Paris.

"Não me compete pronunciar aqui sobre as intenções do Bolsonaro", disse o francês na entrevista, após o encerramento na cúpula do G20. "Compete ao presidente Bolsonaro quando quiser esclarecer as coisas. O que eu disse da minha parte é que a França não apoiará acordo com quem não respeita o Acordo de Paris."

Macron ressaltou que "não pode pedir aos europeus, à indústria, à agricultura e aos atores econômicos que façam esforços indispensáveis neste momento de transição e ao mesmo tempo que façam acordos com países que violam estas mesmas obrigações".

Empecilho

Nesta sexta-feira (30), Macron sinalizou que Bolsonaro pode ser um obstáculo para um acordo entre União Europeia e Mercosul, com negociações que já se arrastam por 20 anos. Bolsonaro respondeu em seguida ressaltando que não fará acordos que prejudiquem o Brasil.

"Sujeitar automaticamente nosso território, leis e soberania a colocações de outras nações está fora de cogitação", escreveu o presidente eleito nas redes sociais."

Macron acrescentou que disse ao presidente da Argentina, Mauricio Macri, que, dentro do Mercosul, uma conversa direta com a Casa Rosada pode prosperar.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias