MISSÃO ESPACIAL

Depois de missão na Lua em 2024, Nasa confirma Marte para 2033

Uma missão para Marte durará ao menos dois anos por conta da distância

Rute Arruda
Rute Arruda
Publicado em 02/04/2019 às 18:18
Foto Ilustrativa: Nasa
Uma missão para Marte durará ao menos dois anos por conta da distância - FOTO: Foto Ilustrativa: Nasa
Leitura:

O regresso de astronautas americanos à Lua, anunciado recentemente para 2024, estará destinado a preparar a chegada do primeiro humano a Marte em 2033, disse nesta terça-feira (2) o administrador da Nasa, Jim Bridenstine.

"Queremos pousar em Marte em 2033", declarou o chefe da Nasa em uma audiência no Congresso americano.

"Podemos avançar no pouso em Marte avançando no pouso na Lua. A Lua é o campo de provas", disse o ex-parlamentar republicano.

A Nasa está com pressa desde a semana passada, quando o vice-presidente americano, Mike Pence, anunciou que adiantará em quatro anos o calendário de regresso à Lua, de 2028 para 2024, último ano de um eventual segundo mandato do presidente Donald Trump.

Muitos especialistas e legisladores do Congresso duvidam das capacidades da Nasa para cumprir esta nova data limite, devido aos atrasos no desenvolvimento do foguete das missões lunares, o Space Launch System ou "SLS", construído pela Boeing.

Uma missão para Marte durará ao menos dois anos devido à distância, já que apenas o trajeto de ida dura seis meses, em comparação com os três dias necessários para chegar à Lua.

A ida e volta a Marte só pode ser feita quando o planeta vermelho está situado no mesmo lado do Sol que a Terra, aproximadamente a cada 26 meses.

Em 2017, uma lei de financiamento da Nasa dispôs o ano 2033 como data de lançamento da primeira missão tripulada a Marte, mas a agência espacial americana falou em geral dos "anos 2030" em suas comunicações dos últimos meses.

A agência espacial quer aprender a extrair e explorar as toneladas de gelo que existem no polo sul da Lua. "O gelo de água representa ar para respirar, água para beber, combustível", disse Bridenstine. 

"O objetivo não é apenas levar humanos à superfície lunar, mas provar que podemos viver e trabalhar em outro mundo", acrescentou.

A legisladora democrata Eddie Bernice Johnson, presidente do Comitê de Ciência, Espaço e Tecnologia da Câmara de Representantes, pediu a Bridenstine para definir um preço para o novo planejamento. 

O chefe da Nasa disse que faria seu pedido de orçamento atualizado até 15 de abril.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias