Crise interna

Evo Morales, presidente da Bolívia, anuncia sua renúncia

Após três semanas de protestos e de perder apoio dos militares, Morales resolveu renunciar neste domingo

Felipe Amorim
Felipe Amorim
Publicado em 10/11/2019 às 18:02
Notícia
HO / Bolivia TV / AF
FOTO: HO / Bolivia TV / AF
Leitura:

O presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou neste domingo sua renúncia ao cargo, depois de três semanas de protestos contra sua polêmica reeleição e depois de perder o apoio das Forças Armadas e da Polícia. Líderes de outros países comentaram a renúncia.

“Renuncio a meu cargo de presidente para que (Carlos) Mesa e (Luis Fernando) Camacho não continuem perseguindo dirigentes sociais”, disse Morales em discurso televisionado, referindo-se a líderes opositores que convocaram protestos ele, desde o dia seguinte às eleições de 20 de outubro.

>> Bolsonaro, Lula e outros políticos comentam a renúncia

DANIEL WALKER / AFP
A renúncia do presidente boliviano, Evo Morales, foi comemorada nas ruas do país - DANIEL WALKER / AFP
HO / Bolivia TV / AF
O presidente boliviano Evo Morales após anunciar sua renúncia em um canal de TV - HO / Bolivia TV / AF
DANIEL WALKER / AFP
A renúncia do presidente boliviano, Evo Morales, foi comemorada nas ruas do país - DANIEL WALKER / AFP
DANIEL WALKER / AFP
Policial segura crucifixo em celebração à renúncia do presidente boliviano, Evo Morales - DANIEL WALKER / AFP
DANIEL WALKER / AFP
Civis acompanhados pela polícia celebram a renúncia do presidente boliviano, Evo Morales - DANIEL WALKER / AFP
DANIEL WALKER / AFP
Policial segura crucifixo em celebração à renúncia do presidente boliviano, Evo Morales - DANIEL WALKER / AFP
DANIEL WALKER / AFP
Freiras celebram a renúncia do presidente boliviano, Evo Morales, nesse domingo (10) - DANIEL WALKER / AFP
DANIEL WALKER / AFP
A renúncia do presidente boliviano, Evo Morales, foi comemorada nas ruas do país - DANIEL WALKER / AFP

Reação nas ruas após o anúncio

Imediatamente após o anúncio, houve comemoração nas ruas de La Paz, com milhares de manifestantes soltando rojões e balançando bandeiras bolivianas.

Morales, de 60 anos e no poder desde 2006, havia vencido a reeleição em outubro, em uma votação questionada. A missão da auditoria da OEA detectou numerosas irregularidades, segundo um relatório divulgado neste domingo. 

Nas horas seguintes, Morales perdeu o apoio das Forças Armadas e da Polícia, enquanto milhares de pessoas exigiam sua renúncia nas ruas.

"O golpe de Estado se consumou", disse o vice-presidente Álvaro García Linera, sentado ao lado de Morales. Linera também anunciou sua renúncia.

Veja seu pronunciamento

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias